Elefantes fogem de reserva chinesa e deixam um rasto de destruição ao longo de 500 km

A manada destruiu celeiros e abriu caminho ao longo das plantações, depois de fugir de uma reserva natural chinesa, em abril.

Uma manada de 15 elefantes deixou um rasto de destruição no sudoeste da China, depois de fugir de uma reserva natural em abril, revela o jornal The Guardian. Os animais comeram plantações inteiras de milho, destruíram celeiros, beberam toda a água existente num tanque, secando-o, e deixaram os locais em pânico, de acordo com a televisão estatal chinesa CCTV.

Ainda não são conhecidos os pormenores em torno da fuga destes elefantes asiáticos, espécie protegida na China, da reserva natural Xishuangbanna, na província de Yunnan.

Desde abril, os animais já percorreram 500 km, numa viagem que tem sido monitorizada pelos residentes e pelas autoridades, e centenas de pessoas tiveram de ser mobilizadas para assegurar a segurança pública.

Na terça-feira, as autoridades de Yunnan revelaram que a manada se encontrava já a 20 km da capital da província de Kunming, onde vivem milhões de pessoas.

Desde meados de abril, os elefantes destruíram perto de 56 hectares de plantações. As perdas foram estimadas em 6,8 milhões de yuans (877.801 euros), de acordo com a CCTV.

A população tem tentado guiar os animais com comida, e bloqueando as estradas com camiões.

Em Yunnan a população de elefantes selvagens está estimada em 300 animais. Nos últimos anos, têm surgido vários relatos de elefantes a vaguear por vilas chinesas e a devastar as plantações.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de