"Eleições: os franceses abandonam"

Dois em cada três faltaram ao dever cívico na primeira volta das eleições regionais em França. Os indultos em Espanha, a depressão juvenil em alta e as viagens para Macau. Revista de imprensa na TSF.

Na capa do diário Libération, "Eleições: os franceses abandonam"... 66% de abstenção, algo jamais visto em eleições em França, a Reunião nacional de Marine Le Pen está em retrocesso em todas as regiões do país, o partido de Macron la Republique en Marche, com pouco mais de dez por cento, vai ter pouco peso na segunda volta no próximo domingo...

No Fígaro, os vários protagonistas na foto da capa, com Macron à esquerda e Le Pen à direita mais três figuras por cá menos conhecidas ao centro e em cima o título, "A abstenção voa alto, a RN Reunião Nacional declina, a direita levanta a cabeça".

O El País trata o assunto na página 2: "A direita tradicional derrota Le Pen nas regionais francesas". Em manchete, outro tema: "o independentismo recebe os indultos em tom de desafio"... proclamam triunfo e a derrota do estado. Puigdemoint pede a Sanchez que clarifique hoje se ele, Puigdemont já pode regressar... sem corre o risco de ser preso, claro.

Mas neste jornal, fala-se também na primeira página de um efeito da pandemia: "depressão juvenil, outro efeito pandémico". Num hospital, relata-se que se passou de quatro tentativas de suicídio por semana, para 20.

No Voz da Galiza, "Europa situa a Galiza fora das zonas de risco por coronavírus"... o centro de controlo de doenças ressalta a boa evolução galega... a incidência a 14 dias está nos 41 casos por cem mil habitantes.

A Europa confia mas não é confiável... "Sem Margem de Manobra" é a manchete do Hoje Macau. A UE tentou mas Macau recusou. Os 27 queriam ver aliviadas gradualmente as restrições de viagens a Macau, na condição de existir reciprocidade, mas a sugestão foi recusada pelo executivo macaense que continua a considerar a Europa como área de alto risco.

Regressando à questão dos indultos nos jornais espanhóis... na primeira do ABC, uma declaração do líder independentista catalão, ainda detido, Oriol Junqueras: "O indulto é um triunfo porque demonstra as debilidades do estado".

No La Vanguardia: "o governo prevê aprovar amanhã indultos que crê inexpugnáveis".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de