EMA diz que benefícios da vacina da AstraZeneca aumentam com a idade

Regulador europeu continua a defender que os benefícios do fármaco são superiores ao risco que este representa e recomenda toma da segunda dose no prazo devido.

A Agência Europeia do Medicamento (EMA) defendeu, esta sexta-feira, que os benefícios da toma da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19 aumentam com a idade e continuam a compensar o risco em adultos, apesar da ligação a coágulos sanguíneos.

A conclusão surge após uma reavaliação do fármaco, pedida pela Comissão Europeia, e na qual ficou demonstrado que "os benefícios da vacinação aumentam com o aumento da idade e das taxas de infeção", explicou a EMA.

"Os benefícios da Vaxzevria superam os riscos em adultos de todos os grupos etários. No entanto, ocorreram casos muito raros de coágulos de sangue, associados a um baixo teor de plaquetas, após a vacinação", especificou o regulador europeu.

Segunda dose? Sim, e no prazo recomendado

Em conferência de imprensa, o vice-diretor da EMA Noël Wathion defendeu também que a segunda dose da vacina da AstraZeneca deve ser administrada, sem atrasos e dentro do intervalo recomendado de 12 semanas, a quem já tomou a primeira.

"Os dados disponíveis sustentam a continuação da administração de uma segunda dose da vacina, entre quatro e 12 semanas após a primeira, de acordo com a informação do medicamento. Os dados não sustentam o adiamento ou a anulação de uma segunda dose da vacina", garantiu o responsável.

Apesar da recomendação, os atrasos nas entregas desta vacina já levaram alguns governos europeus a admitir a substituição da segunda dose da Vaxzevria por uma de outra marca, mas o especialista alertou que não há dados quanto à eficácia de uma medida como essa.

A 7 de abril, a EMA determinou que a ocorrência muito rara - na ordem de um para 100 mil -, mas por vezes fatal, de coágulos sanguíneos que afetam o cérebro deveria ser listada na bula do medicamento como um efeito secundário.

A Vaxzevria "é eficaz na prevenção de hospitalizações, internamentos em unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e mortes devidas à Covid-19. Os efeitos secundários mais comuns são geralmente ligeiros ou moderados e melhoram em poucos dias".

Apesar dos relatos de que os casos de coágulos afetaram sobretudo mulheres, a EMA afirmou que "não há dados suficientes disponíveis em toda a UE para fornecer mais contexto sobre benefícios e riscos no que diz respeito ao sexo".

Estes ​​​​​​​coágulos estão também a ser listados como um efeito secundário da vacina da Johnson & Johnson, que, à semelhança da vacina da AstraZeneca, utiliza uma tecnologia de vetor viral.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de