Embaixador distribui ajuda a portugueses carenciados na Venezuela com o apoio de supermercados

Para proporcionar um Natal mais feliz aos portugueses que vivem na Venezuela e que estão com dificuldades financeiras, o embaixador português em Caracas distribuiu cabazes alimentares pela comunidade lusovenezuelana.

O embaixador de Portugal na Venezuela, Carlos de Sousa Amaro, distribuiu vários cabazes alimentares a uma ONG venezuelana e a portugueses carenciados, uma ação que contou com o apoio de empresários da comunidade locais.

"É a última ação que estamos a fazer este ano. Eu pedi a ajuda de alguns empresários na área do setor dos supermercados para doar alimentos, tendo em conta a quadra natalícia e a situação de muitos lusovenezuelanos. Mais uma vez a comunidade portuguesa na Venezuela demonstrou a sua grande generosidade e grande solidariedade", explicou o diplomata à agência Lusa.

A distribuição, explicou, começou na segunda-feira, com uma visita a uma cantina onde uma ONG venezuelana prepara alimentos para quase 11 mil crianças.

"É óbvio que não podemos fornecer mantimentos ou alimentos para esse número, mas é uma pequena gota para tornar o mês de dezembro um bocadinho melhor para essas crianças e também para algumas das famílias", disse Carlos de Sousa Amaro, precisando que "são meninos pequeninos, num dos bairros mais desfavorecidos de Caracas".

No dia seguinte, disse, junto com representantes da ONG lusovenezuelana "Regala una Sonrisa" (Dê um sorriso) foi "visitar vários lares de portugueses que estão com grandes dificuldades financeiras, levar o equivalente a um cabaz de Natal com elementos básicos, para também os ajudar".

O diplomata foi também ao Lar da Terceira Idade Padre Joaquim Ferreira, que acolhe 60 idosos portugueses, "doar alimentos" e "para ajudar a administração do lar, que tem também grandes problemas financeiros".

"Devo acrescentar que o Estado português também tem ajudado, com um conjunto de contribuições, e a comunidade portuguesa tem-se juntado para angariar fundos também para apoiar o lar", explicou.

Segundo Carlos de Sousa Amaro, "há todo um trabalho conjunto a que a Embaixada se associou este ano, porque de facto, ao contrário do que às vezes se possa pensar, de que há muitos portugueses com muito ou grande sucesso na Venezuela, há também portugueses que infelizmente, por variadíssimas razões, não tiveram tanto sucesso e precisam muito de apoio".

"E, foi nesse sentido que tentámos contribuir um bocadinho, à nossa maneira, para aliviar essas dificuldades", sublinhou.

Questionado sobre quais os motivos para estas dificuldades atuais, tendo em conta que a Venezuela é um país com amplos recursos naturais e produtor de petróleo, explicou que o país está em crise desde há vários anos.

"Como nós todos sabemos, a Venezuela vem atravessando uma crise económica profundíssima já há pelo menos cinco, seis ou sete anos, e a comunidade portuguesa, como toda a população da Venezuela, não está imune aos efeitos dessa crise económica", disse.

Segundo o diplomata, "há parte da comunidade que tem conseguido ir vivendo com esta crise, mas há muitos que perderam os empregos" têm problemas de saúde, num país onde há "grande dificuldade para obter alguns medicamentos e tratamentos, e as condições dos hospitais não são as melhores".

"Devo dizer que tem havido um esforço da parte das autoridades portuguesas através da Embaixada, dos consulados, para trabalhar com algumas organizações como por exemplo a organização que esteve connosco (Dê Um Sorriso) às que pedimos para identificar elementos da comunidade portuguesa que necessitem de facto do nosso apoio", disse.

Carlos de Sousa Amaro sublinhou ainda que desde que chegou à Venezuela (em 2017) pediu ajuda "para que não houvesse nenhum português a viver sem abrigo, debaixo da ponte".

"E temos algumas organizações que trabalham nessa área e que andam à noite a prestar apoio, com médicos e enfermeiros, a pessoas sem abrigo e que quando identificam algum português, passam então essa informação para o consulado e nós tentamos ajudá-los", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de