Empresário português abre SPA mental em Los Angeles

Os proveitos obtidos com estas sessões de SPA mental, que podem ir de 20 até 90 minutos, estão relacionados com o discernimento, relaxamento, criatividade e resolução de problemas.

O empresário português Nélson Abreu e a mulher, Manori Sumanasinghe, abriram um SPA mental em Los Angeles, 'Neuma Being', com tecnologia inovadora que foi desenvolvida pelos dois ao longo dos últimos dez anos.

O projeto inclui uma poltrona computorizada que vibra e emite sons, a que os empreendedores chamam 'Neuma Lounge', uma aplicação móvel que será lançada na segunda metade do ano e uma técnica de meditação desenhada para levar os utilizadores a atingirem estados alterados de consciência.

"Vemos que as pessoas que praticam meditação têm menos dias de baixa por doença, mais criatividade e inovação", disse à Lusa Nélson Abreu, no 'showroom' da tecnologia em Chinatown, Los Angeles. "Hoje em dia as grandes empresas já perceberam que poupam se a pessoa fizer alguns minutos de práticas nesta área".

A 'startup' estava pronta para abrir o espaço pouco antes da pandemia de covid-19, mas foi obrigada a fechar depois de receber apenas nove clientes por causa do confinamento.

Os empreendedores, que passaram pelo Centro de Inovação e Tecnologia de Los Angeles, Bixel Exchange, usaram o último ano para melhorar as técnicas e obter opiniões por parte de utilizadores convidados a experimentar o sistema.

"As pessoas reportam ter a experiência de flutuar, sentir a energia, estarem mais leves ou mais pesadas, até visões", contou o responsável.

Os proveitos obtidos com estas sessões de SPA mental, que podem ir de 20 até 90 minutos, estão relacionados com o discernimento, relaxamento, criatividade e resolução de problemas.

"As pessoas conseguem resolver quebra-cabeças pessoais ou profissionais, às vezes durante a sessão e às vezes nos dias seguintes", explicou Nélson Abreu. "Vemos também a criatividade em geral. Já tivemos aqui realizadores de Hollywood, escritores, artistas, músicos e pessoas que estão na área de negócios".

Formado em Engenharia Eletrotécnica e a trabalhar como gerente de uma equipa de operações na companhia elétrica de Los Angeles, Nélson Abreu combinou as suas competências técnicas com anos de estudo do subconsciente, uma área que sempre o interessou.

"Aqui a ideia é facilitar o pensamento divergente, onde a mente vagueia e depois apanha ideias ou permite que algo venha à tona", explicou, sublinhando que outros benefícios são o aumento do bem-estar, menos dor, maior tranquilidade e mais foco.

"As práticas esotéricas tinham uma audiência muito pequena. Hoje em dia as grandes companhias como Google, Facebook, Microsoft, entendem que vale a pena estudar meditação e estas áreas", explanou.

Designer e arquiteta, com muita experiência em práticas milenares, Manori Sumanasinghe concebeu o espaço e os protótipos e está a trabalhar no projeto a tempo inteiro, que até ao momento foi autofinanciado.

Um dos próximos passos será iniciar conversações com investidores, para tornar a poltrona 'Neuma Lounge' num produto final que pode ser vendido e utilizado numa multiplicidade de contextos.

"Isso interessa a todos os que estão nas indústrias criativas, do bem-estar, do turismo, tudo o que tenha a ver com SPA, hotéis, apartamentos de luxo", exemplificou Nélson Abreu.

No rescaldo da pandemia, há também interesse por parte de pessoas em áreas de emergência e primeiros socorros, que estão sujeitas a pressão muito intensa.

As experiências no local custam entre 35 e 120 dólares (28 e 98 euros) e é possível também marcar sessões virtuais a partir de 30 dólares (24 euros).

"A nossa visão é um ecossistema", afirmou Nélson Abreu. A 'startup' tem a intenção de expandir as operações e por isso tem um diretor em Portugal, Paulo Vieira de Castro, que é responsável pela Neuma Being Europa.

"O mercado da Europa é muito interessante para nós", frisou Abreu. "Estamos a usar Los Angeles como um laboratório".

Aqui, as pesquisas pós-utilização mostram que as pessoas que experimentam a 'Neuma Lounge' conseguem chegar aos estados alterados mesmo em sessões curtas e com resultados percetíveis.

"Algumas dizem que é como se fosse uma câmara de flutuação de sal mas sem água, uma flutuação seca", exemplificou Abreu. "Um realizador disse-nos que parece uma experiência psicadélica sem drogas, psicadélica digital".

A duração da sessão e as técnicas usadas variam conforme os objetivos dos utilizadores, que podem ir à procura de inspiração, respostas, ou simples relaxamento.

"O interessante dos estados alterados que estamos a facilitar é que têm alguma lucidez", complementou. "São os sonhos lúcidos, a experiência fora do corpo e a hipnagogia, o estado entre o acordado e o a dormir".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de