Escócia e Áustria confirmam casos da variante Ómicron

Na Escócia, foram confirmados seis infeções e na Áustria a presença da nova variante foi detetada numa pessoa que viajou recentemente para a África do Sul.

O secretário de Estado da Saúde da Escócia anunciou esta segunda-feira a descoberta de seis novos casos da Ómicron, a nova variante do coronavírus, elevando para nove o total no Reino Unido.

Humza Yousaf disse hoje que pediu às autoridades de saúde pública que realizassem um rastreamento de contactos de todos os casos, sublinhando que é preciso agir com "cautela" até que se saiba mais sobre a variante.

No fim de semana, as autoridades de saúde detetaram três casos da variante, o que levou o governo britânico a endurecer as regras sobre o uso de máscaras e testes a pessoas que chegam ao país.

A Áustria junta-se também aos países que já confirmaram casos da variante Ómicron. Na região do Tirol, a infeção foi detetada numa pessoa que viajou recentemente para a África do Sul.

"Já temos os resultados de que precisamos para poder confirmar" que o caso suspeito detetado no sábado é, "garantidamente, da variante B.1.1.529", anunciou o Ministério da Saúde austríaco.

As autoridades regionais de saúde tirolesas indicaram no sábado que suspeitavam de um caso de infeção pela variante Ómicron numa pessoa sem sintomas.

A Áustria fechou, na sexta-feira, as suas fronteiras a viajantes de sete países da África Austral na sequência da deteção, na África do Sul, da variante Ómicron do coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença da Covid-19.

O Governo britânico, que detém a presidência rotativa do G7, anunciou no domingo a convocação de uma "reunião de emergência" dos ministros da Saúde do grupo para lidar com a questão da variante Ómicron do coronavírus.

Os ministros da Saúde dos sete países mais ricos - França, Estados Unidos da América, Canadá, Alemanha, Itália, Japão e Reino Unido - vão reunir-se hoje "para discutir a evolução da situação sobre a Ómicron".

A decisão foi tomada após terem sido detetados casos desta nova variante do coronavírus em vários países, em todo o mundo.

Embora a pandemia já tenha vitimado mais de cinco milhões de pessoas em todo o mundo, desde o final de 2019, a chegada, durante a semana passada, da variante Ómicron foi considerada "preocupante", na sexta-feira, pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Identificada inicialmente na África do Sul, a Ómicron levou vários países a encerrar as suas fronteiras com os países da África Austral - incluindo África do Sul, Botsuana, Zimbábue, Namíbia, Lesoto, Essuatíni (ex-Suazilândia), Moçambique -- bem como outros países africanos - incluindo Zâmbia, Maláui ou Angola -- apesar dos apelos da OMS para que as fronteiras permaneçam abertas.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.193.392 mortes em todo o mundo, entre mais de 260,44 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de