Espanha com máximo diário de 23.580 novos casos de Covid-19

Autoridades sanitárias também contabilizaram mais 173 mortes atribuídas à Covid-19, passando o total de óbitos para 35.639.

Espanha registou esta quinta-feira 23.580 novos casos de Covid-19, um novo máximo desde o início da pandemia, elevando para 1.160.083 o total de infetados no país, segundo números divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol.

As autoridades sanitárias também contabilizaram mais 173 mortes atribuídas à Covid-19, passando o total de óbitos para 35.639.

Deram entrada nos hospitais com a doença nas últimas 24 horas 2349 pessoas, das quais 443 na Catalunha, o mesmo número na Andaluzia, e 330 em Madrid.

Em todo o país há 17.520 pessoas hospitalizadas com a doença, das quais 2404 pacientes em unidades de cuidados intensivos.

O nível de incidência acumulada em Espanha subiu esta quinta-feira para 468 casos diagnosticados por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias, sendo as regiões com os níveis mais elevados a de Navarra (1172), Melilla (1290), Aragão (984), Rioja (736), Castela e Leão (735), Catalunha (681), Ceuta (653) e País Basco (554).

O parlamento espanhol aprovou esta quinta-feira a prorrogação do estado de emergência para lutar contra a pandemia de Covid-19 durante seis meses, até 09 de maio de 2021.

A medida que já está em vigor desde o último domingo, mas que o Governo só podia decretar durante duas semanas, foi aprovada por uma maioria confortável de 194 votos a favor, 53 contra e a abstenção de 99 deputados.

O estado de emergência para tentar contrariar a progressão da pandemia em Espanha estabelece o recolher obrigatório, menos nas Canárias, das 23h00 às 06h00, podendo cada uma das comunidades autónomas adiantar ou atrasar a medida em uma hora.

A medida também outorga a cada uma das regiões espanholas os instrumentos jurídicos necessários para decidir medidas como o confinamento de zonas do seu território, municípios ou mesmo toda a comunidade autónoma.

Por outro lado, o Governo regional de Madrid decidiu confinar a população da região nos próximos dois fins de semana, que são prolongados até segunda-feira devido a dois feriados, como forma de luta contra a pandemia de Covid-19.

A presidente desta comunidade autónoma espanhola que tem 6,7 milhões de habitantes, Isabel Díaz Ayuso, defendeu que queria "fechar" a região "apenas os dias imprescindíveis" para impedir a habitual deslocação de milhões de madrilenos nestas ocasiões.

O executivo regional de direita mantém assim o braço de ferro com o Governo central socialista que defende confinamentos regionais mais prolongados, apesar de o setor da saúde ser competência das comunidades autónomas.

A região onde se encontra a capital espanhola afasta-se assim da maioria das comunidades autónomas do país, que nos últimos dias têm anunciado confinamentos ao nível de toda a comunidade e/ou também ao nível dos seus concelhos.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2428 em Portugal.

Na Europa, o maior número de vítimas mortais regista-se no Reino Unido (45.955 mortos, mais de 965 mil casos), seguindo-se Itália (38.122 mortos, mais de 616 mil casos), França (35.541 mortos, mais de um 1,1 milhões de casos) e Espanha (35.639 mortos, mais de 1,16 milhões de casos).

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de