Espanha vai manter registo de pessoas que rejeitaram ser vacinadas

Lista com dados de cidadãos que não quiserem tomar a vacina da Covid-19 vai ser partilhada com as instâncias europeias.

Espanha vai manter um registo das pessoas que não querem ser vacinadas e a informação será partilhada com parceiros europeus. Em entrevista à televisão "La Sexta", o ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, garantiu que a vacina é facultativa mas sublinhou que quem recusar tomá-la fará parte de um registo específico.

"Vamos manter um registo, que também vamos partilhar com outros parceiros europeus, daquelas pessoas a quem foram oferecidas as vacinas e que simplesmente as rejeitaram, como acontece com outros tratamentos indicados para outros tipos de patologias", informou o ministro espanhol. "Assim, fica registado quem, no uso da sua liberdade, rejeita a vacina, seja qual for o motivo."

Salvador Illa assegurou, ainda assim, que este "não é um documento a ser tornado público" e que "tudo será feito com o maior respeito pela proteção de dados".

Apesar destas garantias, o documento será partilhado com parceiros europeus. O presidente da câmara de Madrid, José Luis Martínez-Almeida, que é também porta-voz do Partido Popular, acusa, por isso, o Governo socialista de falta de transparência em relação às vacinas, levando muitas pessoas a não quererem ser vacinadas.

Um inquérito recente realizado no país revela que 28% dos cidadãos espanhóis são contra a vacinação imediata.

De acordo com os últimos dados disponíveis, Espanha regista já 1.879.413 pessoas infetadas pelo coronavírus, que resultaram em 50.122 mortes.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de