Estátua de Thomas Jefferson retirada do concelho municipal de Nova Iorque

Em causa está o passado esclavagista do terceiro presidente dos Estados Unidos.

A autarquia de Nova Iorque aprovou na segunda-feira a retirada da estátua de Thomas Jefferson (1743-1826) da sala do Conselho Municipal devido ao passado esclavagista do terceiro presidente dos Estados Unidos.

A comissão municipal aprovou por unanimidade a retirada da estátua de Jefferson que se encontra no edifício desde o princípio do século XX.

Thomas Jefferson, um dos autores da Declaração de Independência dos Estados Unidos (04 de julho de 1776) e mais tarde terceiro presidente dos Estados Unidos (1801-1809), era proprietário de uma plantação na Virgínia com mais de 600 escravos.

O processo sobre a retirada da estátua prolongava-se há vários anos e tinha sido iniciado por conselheiros municipais de origem sul-americana e africana.

A escultura deve ser colocada numa sala da Sociedade Histórica da cidade de Nova Iorque.

"Jefferson representa alguma das páginas mais vergonhosas da longa história do nosso país", disse a afro-americana Adrianne Adams, conselheira municipal de Nova Iorque.

O debate sobre a presença da estátua de Jefferson na sala do Conselho Municipal de Nova Iorque foi relançado pelo movimento social e político Black Lives Matter que surgiu na sequência da morte de George Floyd, assassinado por asfixia por um polícia, em Minneapolis, em 2020.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de