EUA admitem abrandar ritmo da retirada do Afeganistão

Extremistas islâmicos que governavam o país quando se deu a invasão da força internacional, em 2001, já conquistaram 50 dos 370 distritos afegãos.

Os EUA admitem atrasar o ritmo da retirada do Afeganistão. O porta-voz do Pentágono disse que o último dia da saída continua marcado para 11 de setembro, mas o ritmo pode baixar por causa das vitórias militares dos talibã.

Os extremistas islâmicos que governavam o país quando se deu a invasão da força internacional, em 2001, já conquistaram 50 dos 370 distritos afegãos. A enviada das Nações Unidas ao Afeganistão informou esta terça-feira o Conselho de Segurança que o avanço vai continuar com a conquista de diversas capitais municipais mal saiam as tropas estrangeiras.

Deborah Lyons, enviada das Nações Unidas para o Afeganistão, alertou para a gravidade da situação no país, que corre o risco de ver comprometidos diversos progressos registados nos últimos 20 anos. Também o Pentágono está preocupado com o elevado nível de violência e garantiu que, se for necessário, haverá uma mudança no ritmo e escala da retirada.

John Kirby, porta-voz do departamento de defesa dos EUA, acrescentou que o país quer manter a capacidade no terreno para fazer alterações e que as decisões estão a ser tomadas quase em tempo real.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de