EUA eliminam pelo menos três líderes do Estado Islâmico na Síria em 24 horas

Esta é a primeira vez desde o início da guerra síria em 2011 que as tropas norte-americanas realizam uma operação de helicóptero numa área sob controlo do regime de Bashar al-Assad.

As forças norte-americanas mataram nas últimas 24 horas pelo menos três líderes do grupo extremista Estado Islâmico na Síria numa operação helitransportada e num ataque aéreo, anunciaram os militares dos Estados Unidos.

A operação de helicóptero que visou um dos líderes, Rakan Wahid al-Shamri, foi realizada na quarta-feira à noite no nordeste da Síria, precisou o Comando Militar do Médio Oriente dos EUA (Centcom) e ocorreu num enclave mantido pelas forças do regime sírio, perto da cidade de Qamishli, controlada por forças curdas aliadas com tropas norte-americanas.

Esta é a primeira vez desde o início da guerra síria em 2011 que as tropas norte-americanas realizam uma operação de helicóptero numa área sob controlo do regime de Bashar al-Assad, segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

Centenas de tropas dos EUA estão destacadas no nordeste da Síria como parte de uma coligação liderada pelos EUA, que continua a lutar com os seus aliados curdos das Forças Democráticas Sírias.

O comando norte-americano adiantou, num segundo comunicado, que tinha matado dois altos membros do grupo extremista num ataque aéreo no norte da Síria, sem especificar exatamente onde.

Neste segundo ataque, de acordo com o Centcom, foi morto "tanto Abu Hashum al-Umawi [...] como outro alto membro do Estado Islâmico", sem atingir nenhum civil.

"Esta operação irá enfraquecer a capacidade do Estado Islâmico para desestabilizar a região e atacar as nossas forças e aliados", sublinhou o chefe do comando dos EUA na região, o general Michael Kurilla.

"Na quarta-feira à noite, as forças norte-americanas realizaram um ataque de helicóptero perto de Qamishli, visando Rakan Wahid al-Shamri, um líder do Estado Islâmico conhecido por facilitar o contrabando de armas e o transporte clandestino de combatentes", indicou no primeiro comunicado o Centcom.

"O indivíduo visado foi morto e um dos seus companheiros ferido. Dois outros foram detidos", acrescentou. Nenhum soldado ou civil foi morto ou ferido na operação.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos confirmou a morte de Rakan Wahid al-Shamri.

Após uma ascensão meteórica ao poder em 2014 no Iraque e na vizinha Síria e a conquista de vastos territórios, o Estado Islâmico viu o seu autoproclamado califado cair sob sucessivas ofensivas. Foi derrotado em 2017 no Iraque e em 2019 na Síria.

Mas o grupo extremista continua a realizar ataques através de células adormecidas nestes dois países.

Em julho, os EUA mataram um outro líder do grupo num ataque com drone no noroeste da Síria. Em junho, capturou outro numa operação helitransportada no norte da Síria.

O líder Abu Bakr al-Baghdadi foi morto em 2019 e o seu sucessor, Abu Ibrahim al-Hashimi al-Qurachi, eliminado em fevereiro de 2022 numa operação das Forças Especiais dos EUA no noroeste da Síria, uma região largamente controlada pelos jihadistas.

A guerra na Síria, um país fragmentado com diferentes protagonistas, causou a morte a cerca de 500 mil pessoas desde 2011.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de