EUA sancionam executivos do Gazprombank e várias entidades russas

Sanções entram em vigor até esta sexta-feira e atingem perto de 2600 pessoas.

Os Estados Unidos anunciaram este domingo sanções contra 27 executivos do banco russo Gazprombank, contra as cadeias televisivas russas Channel One, Rossiya e NTV, e ainda contra o fabricante de armas Promtekhnologiya em represália pela invasão russa da Ucrânia.

A Casa Branca anunciou estas sanções - que entram em vigor entre hoje e segunda-feira - após a reunião virtual do G7 em que participou o Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky.

Um alto funcionário norte-americano indicou aos média que as sanções contra os executivos do Gazprombank pretendem emitir "um aviso" contra a entidade, filial bancária da empresa estatal de gás russa Gazprom e a única via autorizada pelo Kremlin para que os membros da União Europeia façam os seus pagamentos de gás russo.

No entanto, pelo facto de as sanções não se dirigirem especificamente contra o banco, mas sim contra os seus executivos, os países europeus poderão continuar a comercializar com a Rússia, indicou a mesma fonte.

Washington também adotou represálias contra oito altos cargos da entidade Sberbank, a mais importante da Rússia ao representar 37% do seu sistema financeiro, que já fora objeto de sanções norte-americanas.

Devido à medida hoje anunciada, ficam anulados os vistos que os sancionados possuíam para entrar no país.

No total, os Estados Unidos anunciaram medidas contra 2600 pessoas que, segundo asseguraram, integram a elite russa ou são funcionários russos ou bielorrussos, supostamente envolvidos em agressões contra a soberania da Ucrânia, ou violaram direitos humanos.

Em paralelo, o Governo norte-americano adotou medidas contra três cadeias televisivas: Channel One, Rossiya e NTV, esta última propriedade do poderoso grupo de comunicação Gazprom-Media, subsidiário da Gazprom.

Washington acusa as cadeias de se terem tornado numa das componentes da "máquina" de propaganda do Presidente russo, Vladimir Putin.

Devido às sanções, estas três emissoras estão impedidas de adquirir a tecnologia de que necessitam para efetuar as suas retransmissões, desde câmaras a microfones fabricados nos Estados Unidos até equipamento de som e sistemas de iluminação.

O Governo de Washington também anunciou sanções contra a empresa Promtekhnologiya, que produz armas e outros equipamentos utilizados pelas tropas russas na Ucrânia, e ainda contra sete companhias de navegação, que possuem ou operam 69 navios, e uma empresa de reboque marítimo.

Fica ainda proibida a venda na Rússia, por empresas norte-americanas, de materiais industriais que possam ser utilizados para a guerra na Ucrânia, onde se incluem escavadoras, motores industriais, ventiladores, caldeiras e produtos de madeira.

O Governo de Joe Biden decretou também que as empresas dos Estados Unidos não poderão prestar serviços de contabilidade e assessoria a qualquer pessoa ou entidade russa.

Por último, a Comissão reguladora nuclear, uma agência governamental dos EUA, vai suspender as licenças que permitiam a exportação para a Rússia de diversos materiais com urânio e plutónio.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de