Explosão de carro perto de Moscovo mata jornalista próxima de Putin

Vítima é filha do filósofo Alexander Dugin, um ideólogo que serve de inspiração a Vladimir Putin.

Darya Dugina, filha de um apoiante de Vladimir Putin, morreu numa explosão no sábado à noite. A BBC conta que os dois, pai e filha, voltavam a Moscovo depois de terem assistido a um festival onde eram convidados.

O filósofo Alexander Dugin, um ideólogo que serve de inspiração a Vladimir Putin, devia viajar com a filha, mas à última hora decidiu seguir num carro diferente. Por isso, escapou ileso, mas a jornalista Darya Dugina, também apoiante do Presidente russo, morreu na explosão do veículo.

As autoridades já estão a investigar o caso e acreditam que a explosão foi premeditada.

Um vídeo amador divulgado nas redes sociais, com uma imagem reproduzida pelo site The Odessa Journal, alegadamente mostra Dugin em estado de choque próximo do carro em chamas e carros de bombeiros.

A BBC, que faz referência às imagens, disse que não foi capaz de verificar o vídeo de forma independente. Os investigadores confirmaram que Daria Dugina morreu no local, perto da aldeia de Bolshiye Vyazemy.

Nenhum suspeito foi imediatamente identificado, mas o líder separatista de Donetsk (leste da Ucrânia), Denis Pushilin, acusou os "terroristas do regime ucraniano" de terem "tentado matar Alexander Dugin", segundo a agência norte-americana AP.

Líder do Movimento Eurasiático, Alexander Dugin, 60 anos, tem sido descrito no Ocidente como "cérebro de Putin" e "guia espiritual" da invasão da Ucrânia, que o Presidente da Rússia ordenou a 24 de fevereiro, embora se desconheça se mantém contactos com o líder russo.

Apoiante da invasão da Ucrânia, como o pai, Daria Dugina foi alvo de sanções das autoridades norte-americanas e britânicas, que a acusaram de contribuir para a desinformação em relação à guerra iniciada pela Rússia.

Numa entrevista em maio, descreveu a guerra na Ucrânia como um "choque de civilizações" e manifestou orgulho por ela e o pai terem sido sancionados pelo Ocidente, segundo a BBC.

Alexander Dugin também foi alvo de sanções dos Estados Unidos em 2015, na sequência da anexação da Crimeia pela Rússia, em 2014.

Dugina era comentadora política do canal de televisão nacionalista Tsargrad.

"Dasha, como o seu pai, sempre esteve na vanguarda do confronto com o Ocidente", disse este domingo o canal, usando a forma familiar do nome da comentadora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de