Explosão faz um morto e pelo menos 59 feridos no Afeganistão

Explosão terá sido provocada por uma granada.

O número de feridos numa explosão que ocorreu, este domingo, na capital do Afeganistão, em Cabul, subiu para 59 e registou-se um morto, afirmou fonte hospitalar.

Numa publicação na rede social Twitter, o Hospital de Cabul afirmou que registou um cadáver e 59 pessoas que estão a receber cuidados médicos, com 30 dos feridos a precisar de tratamentos adicionais.

Um porta-voz da polícia de Cabul, Khalid Zadran, afirmou à agência de notícias Associated Press que a explosão foi provocada por uma granada atirada por um alegado ladrão que quereria roubar os cambistas que trabalham no mercado.

A mesma fonte das forças de segurança talibãs referiu que havia dez pessoas feridas, não explicando a discrepância entre o número de feridos relatados.

Khalid Zadran afirmou ainda que a polícia lançou uma investigação sobre o sucedido.

Num vídeo, gravado pela AP, pode-se ver os feridos a serem retirados do local, carregados por outras pessoas.

O mercado foi encerrado após a explosão e as forças de segurança talibãs cercaram a área, mas não ficou claro o que causou a explosão e nem houve uma reivindicação da responsabilidade pelo ataque.

As autoridades talibãs não comentaram ainda o incidente. Esta foi a primeira explosão na capital afegã em meses.

O Governo dos talibãs do Afeganistão aumentou a segurança em quase todo o país desde que chegaram ao poder em agosto. As tropas dos talibãs controlam dezenas de postos de controlo em toda a cidade.

A maior ameaça enfrentada pelos talibãs vem do grupo afegão associado ao Estado Islâmico (EI), conhecido como Estado Islâmico da Província de Khorasan (EI-K). Os talibãs têm vindo a reprimir este braço do EI no seu reduto no leste do Afeganistão.

Num comunicado, o EI-K disse no sábado que atacou um veículo dos talibãs em Cabul, matando todos os seus ocupantes. No entanto, não houve uma confirmação deste incidente pelo Governo talibã ou sinais de uma explosão no sábado.

O EI-K também reivindicou uma explosão na província ocidental de Herat, que visou a minoria muçulmana xiita do país. Não houve confirmação de qualquer explosão em Herat e o EI-K frequentemente faz afirmações exageradas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de