Família de George Floyd vai receber indemnização de 27 milhões de dólares

Este é o valor mais alto de indemnização pago pela cidade de Minneapolis. George Floyd foi morto por um polícia em maio de 2020.

A família de George Floyd chegou a um acordo civil com a cidade de Minneapolis e vai receber uma indemnização de 27 milhões de dólares (aproximadamente 22,6 milhões de euros) pela morte do afro-americano. A informação foi avançada pelo município e pelos representantes da família.

"Este é o maior acordo no caso de homicídio culposo de um homem negro", afirmaram os advogados num comunicado, citado pela AFP.

Na mesma mensagem, os representantes da família de Floyd reforçam que "a vida dos negros importa e a brutalidade policial contra pessoas de cor deve acabar".

O acordo resulta de um processo federal que a família Floyd abriu em julho contra a cidade de Minneapolis e que, agora, retira.

A decisão foi saudada por Lisa Bender, presidente do conselho municipal da cidade de Minneapolis, entidade que era acusada pela família de fomentar o uso excessivo de força, racismo e impunidade na polícia local.

Este é o valor mais alto de indemnização pago por esta cidade, superando os 20 milhões de dólares pagos em 2019 à família de Justine Damond, que foi baleada e morta por um polícia em 2017.

O afro-americano George Floyd morreu a 25 de maio de 2020, depois do agente de Minneapolis Derek Chauvin ter pressionado o joelho no pescoço do afro-americano durante nove minutos.

O momento da morte de Floyd foi capturado em vídeo e divulgado amplamente nas redes sociais, tornando-se viral e provocando ​​​​​​​uma onda de manifestações nos Estados Unidos e em todo o mundo contra o racismo e a violência policial.

"A morte horrível de George Floyd, testemunhada por milhões de pessoas em todo o mundo, desencadeou um anseio profundo e uma procura inegável por justiça e mudança", adianta Ben Crump, advogado da família Floyd.

"É um passo necessário para que o caso comece a ser encerrado", refere Rodney, irmão de Floyd.

"O legado de George para aqueles que o amavam sempre será o seu espírito de otimismo de que as coisas podem ficar melhores e esperamos que este acordo faça exatamente isso", acrescenta.

Chauvin está atualmente em julgamento e enfrenta acusações de homicídio em segundo grau e assassínio. Há mais três polícias envolvidos no caso, sendo que já foram todos despedidos.

Na quinta-feira, o juiz Peter Cahill, do condado de Hennepin, aceitou o pedido do Ministério Público para acrescentar uma acusação de assassínio em terceiro grau a Derek Chauvin.

O tribunal prossegue esta sexta-feira o processo de escolha dos potenciais jurados do julgamento de Chauvin, processo que começou terça-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de