Forças russas estão a fazer "retirada rápida" no norte do país

De acordo com um assessor presidencial ucraniano, a Rússia está a optar por "recuar para o leste e o sul, manter o controle de vastos territórios ocupados e ganhar uma posição de uma maneira poderosa".

As forças russas estão a retirar-se "de forma rápida" das regiões de Kiev e Chernigiv, cidade no norte da Ucrânia, e pretendem "ganhar uma posição no leste e no sul", disse este sábado um assessor presidencial ucraniano.

"Após uma rápida retirada russa das regiões de Kiev e Chernigiv (...), é bastante claro que a Rússia escolheu outra tática prioritária: recuar para o leste e o sul, manter o controle de vastos territórios ocupados e ganhar uma posição de uma maneira poderosa", escreveu Mykhailo Podoliak numa mensagem no Telegram.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1276 civis, incluindo 115 crianças, e feriu 1981, entre os quais 160 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4,1 milhões de refugiados em países vizinhos e cerca de 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de