França admite prolongar operação de resgate no Afeganistão

A França está ainda a tentar retirar várias centenas de afegãos de Cabul, num contexto caótico após o duplo ataque de quinta-feira, junto ao aeroporto de Cabul.

A França poderá continuar a retirar pessoas do Afeganistão depois de esta sexta-feira à noite, o prazo que tinha avançado para suspender as operações, admitiu o secretário de Estado para os Assuntos Europeus francês, Clément Beaune.

"Pode ir além desta noite, mas devemos permanecer cautelosos sobre este assunto", disse Beaune na rádio Europe 1, citado pela agência France-Presse.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, tinha anunciado na quinta-feira que as operações da França seriam concluídas esta sexta-feira à noite, por imposição dos Estados Unidos, que garantem a segurança e a operacionalidade do aeroporto de Cabul.

Este prazo também foi mencionado esta sexta-feira de manhã pelo ministro dos Transportes, Jean-Baptiste Djebbari, que disse ao canal CNews que "os últimos voos serão feitos esta noite".

A França está ainda a tentar retirar várias centenas de afegãos de Cabul, num contexto caótico após o duplo ataque de quinta-feira, junto ao aeroporto de Cabul, que matou dezenas de pessoas, incluindo 13 militares norte-americanos.

O ataque foi reivindicado pelo grupo Estado Islâmico da Província de Khorasan (ISKP, na sigla em inglês).

"O ataque terrorista não deve impedir estas operações (...). Vamos continuar até ao último segundo possível", disse Clement Beaune.

O secretário de Estado admitiu, no entanto, que nem todos os afegãos sob ameaça que tentam fugir do país o conseguirão fazer.

"Isto significa que todas as pessoas que têm trabalhado no Afeganistão para aliados, para europeus, poderão deixar o aeroporto? Provavelmente não", disse.

As forças internacionais terão de se retirar do Afeganistão até à próxima terça-feira, 31 de agosto, após 20 anos no país.

Os talibãs tomaram o poder no Afeganistão em 15 de agosto, que tinham perdido em 2001, com a invasão do Afeganistão por forças internacionais lideradas pelos Estados Unidos na sequência dos atentados de 11 de setembro de 2001.

Desde a queda de Cabul, milhares de pessoas têm-se concentrado diariamente no aeroporto da capital na esperança de embarcarem num voo de resgate de estrangeiros e afegãos organizado pelas forças internacionais.

De acordo com os últimos números da Casa Branca, as forças dos Estados Unidos e da coligação retiraram ou ajudaram a sair mais de 100 mil pessoas, cerca de 7.500 só na quinta-feira, do aeroporto de Cabul.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de