Fronteiras ainda fechadas. Austrália quer acolher estudantes estrangeiros no segundo semestre

O Executivo de Camberra fechou as fronteiras em março de 2020, o que significou um forte impacto nos empregos diretos e indiretos ligados ao setor.

Os estudantes estrangeiros regressarão às universidades do estado australiano de New South Wales, a partir do segundo semestre deste ano, graças a um programa piloto apresentado na quinta-feira pelas autoridades com o qual pretendem reanimar este importante setor económico.

Os serviços educacionais a estrangeiros foram uma das maiores fontes de exportação da Austrália até a pandemia de Covid-19 obrigar o Executivo de Camberra a fechar as fronteiras em março de 2020, o que significou um forte impacto nos empregos diretos e indiretos ligados ao setor.

Embora a Austrália não deva abrir as suas fronteiras até junho de 2022, o governo da Nova Gales do Sul, que recebe mais de 30% dos estudantes estrangeiros que entram no país, procura implementar um plano para permitir a entrada regular e escalonada de estudantes em pequenos grupos.

De acordo com o plano, os centros de alojamento para estudantes serão utilizados para 250 estudantes estrangeiros entrarem na região de 15 em 15 dias para fins educacionais e onde cumprem as quarentenas obrigatórias.

"Antes da pandemia, tínhamos mais de 250 mil estudantes estrangeiros em Nova Gales do Sul e eles criaram 95 mil empregos locais. Se não agirmos rapidamente, os estudantes irão para outro lugar e levará décadas para que a indústria se recupere", disseram as autoridades.

A Austrália acumulou mais de 30.200 casos de Covid-19, incluindo 910 mortes, desde o início da pandemia e há meses que vive uma aparente normalidade que só é perturbada por confinamentos breves e localizados em resposta a pequenos surtos.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de