"Give Peace a Chance." 150 rádios europeias transmitem música de John Lennon ao mesmo tempo

A TSF junta-se à iniciativa da União Europeia de Radiodifusão e às 7h45 desta sexta-feira, 4 de março.

Cerca de 150 estações de rádio europeias transmitiram a música de John Lennon "Give Peace a Chance" ao mesmo tempo, esta sexta-feira, numa ação solidária contra a guerra na Ucrânia, numa iniciativa da União Europeia de Radiodifusão (EBU).

A canção antiguerra composta pelo antigo membro dos Beatles foi escutada em mais de 25 países, pelas 7h45 (hora de Lisboa), incluindo na Ucrânia. As estações de rádio privadas europeias também se juntaram à iniciativa, adiantou a EBU.

"Os horrores da guerra contra a Ucrânia são mais evidentes a cada dia. A nossa solidariedade, a nossa humanidade e o nosso apoio são necessários", disse a diretora da rádio regional RBB de Berlim, que iniciou o projeto, Patricia Schlesinger.

O produtor executivo da rádio ucraniana Channel One, Yurii Tabachenko, disse que era "extremamente importante" que a Europa estivesse "unida em torno da Ucrânia".

A música "Give Peace a Chance", lançada em 1969 pela Plastic Ono Band, foi gravada em Montreal (Canadá) durante o "Bed-in" de John Lennon e da esposa, Yoko Ono, pela paz no Queen Elizabeth Hotel.

Fundada em 1950, a EBU, sediada em Genebra (Suíça), é a maior coligação órgãos de comunicação social de serviço público do mundo, com 113 membros em 56 países.

A EBU é conhecida pelo público em geral através do Festival Eurovisão da Canção.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar com três frentes na Ucrânia, com forças terrestres e bombardeamentos em várias cidades. As autoridades de Kiev contabilizaram, até ao momento, mais de 2.000 civis mortos, incluindo crianças, e, segundo a ONU, os ataques já provocaram mais de um milhão de refugiados na Polónia, Hungria, Moldova e Roménia, entre outros países.

O Presidente russo, Vladimir Putin, justificou a "operação militar especial" na Ucrânia com a necessidade de desmilitarizar o país vizinho, afirmando ser a única maneira de a Rússia se defender e garantindo que a ofensiva durará o tempo necessário.

O ataque foi condenado pela generalidade da comunidade internacional, e a União Europeia e os Estados Unidos, entre outros, responderam com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas para isolar ainda mais Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Notícia atualizada às 10h55

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de