Penalização por incumprimento. Governo acredita que Nigéria faz "todos os esforços" para entregar gás a Portugal

João Gomes Cravinho lembra que compromissos "são de natureza comercial e os contratos têm as suas cláusulas que preveem penalizações e prazos". A Nigéria é um dos mais importantes fornecedores de Portugal.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, disse esta quinta-feira em Paris que Portugal acredita que a Nigéria está a fazer "todos os esforços" para entregar o gás com o qual se comprometeu e que os contratos deste género preveem "penalizações e prazos".

"Os compromissos são de natureza comercial e os contratos têm as suas cláusulas que preveem penalizações e prazos, diferentes elementos que constam de um relacionamento desta natureza. Portugal tem um conjunto diversificado de fornecedores e acreditamos que, do lado nigeriano, todos os esforços serão feitos para cumprir a palavra dada", afirmou o ministro questionado pelos jornalistas.

O governante comentou assim a falta de quatro entregas de gás por parte da Nigéria a Portugal, noticiadas hoje pelo Jornal de Negócios. Esta falha terá mesmo levado o secretário de Estado da Energia, João Galamba, a deslocar-se a este país africano de forma a garantir as entregas prometidas a Portugal.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português está em Paris para visitas à UNESCO, ao Museu do Louvre e para um encontro bilateral com a sua homóloga francesa, Catherine Colonna, na sexta-feira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de