"Há tempo para solução diplomática" na Ucrânia, mas EUA enviam alguns militares para o leste da Europa

O secretário da Defesa norte-americana, Lloyd Austin, acredita que ainda há margem para resolver diplomaticamente o diferendo entre a Rússia e a Ucrânia, mas Joe Biden já anunciou o envio de alguns militares para o Leste europeu.

Há tempo para uma solução diplomática. É o que defendem os Estados Unidos da América sobre a situação na fronteira da Rússia com a Ucrânia. No entanto, Joe Biden, Presidente norte-americano, já tem soldados preparados para viajar para a Europa.

Um pequeno número de tropas dos EUA vai ser enviado para o Leste europeu e para os países da Aliança Atlântica, afirmou na noite de sexta-feira o Presidente dos Estados Unidos.

Sem adiantar uma data, e apenas explicando que o movimento será feito em breve, Joe Biden revelou que as tropas norte-americanas vão ser colocadas no Leste europeu e também em países da NATO.

O Pentágono já tinha anunciado que tinha 8500 operacionais preparados para ir para a Europa, numa altura em que aumenta a pressão internacional sobre Vladimir Putin.

Numa conferência de imprensa, o secretário da Defesa norte-americana, Lloyd Austin, declarou que há tempo e margem para a diplomacia, e que o conflito não é inevitável. O responsável da Defesa dos EUA assinalou ainda que uma invasão da Ucrânia por parte da Rússia seria "horrível para ambos os lados".

Mais de cem mil soldados russos estão concentrados junto à fronteira ucraniana desde o fim de 2021, sinal, para Washington, de que uma invasão poderá estar iminente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de