Homem que invadiu Capitólio com bandeira confederada condenado a 33 meses de prisão

Durante o ataque ao Capitólio, Matthew Ryan Miller descarregou um extintor de incêndio contra polícias que tentavam impedir os manifestantes de entrarem no edifício.

Um homem que invadiu o Capitólio dos Estados Unidos envolto numa bandeira confederada foi esta quarta-feira condenado a dois anos e nove meses de prisão, por agressão a policias e obstrução ao trabalho das forças de segurança durante o motim.

Matthew Ryan Miller, de 23 anos, descarregou um extintor de incêndio contra polícias que tentavam impedir os manifestantes de entrarem no edifício.

Imagens em vídeo do dia da invasão ao Capitólio, em 6 de janeiro de 2021, mostram Miller a atirar também um objeto não identificado na direção das forças de segurança, segundo a acusação.

Milhares de pessoas, incentivadas pelo então presidente dos EUA, Donald Trump, invadiram o Congresso norte-americano na tentativa de impedir a certificação da vitória eleitoral do democrata Joe Biden.

O réu viajou desde Cooksville, Maryland, para Washington, com um chapéu de cowboy preto e vestindo uma camisola do Washington Capitals, uma bandeira do Estado de Maryland e a bandeira de Gadsden, que apresenta um fundo amarelo e uma cobra sibilante.

Enquanto a multidão se reunia no lado oeste do edifício, Miller atirou uma lata de cerveja cheia contra o Capitólio e os policias, segundo os documentos judiciais.

Depois de ter utilizado uma barreira de metal como escada, para subir um muro do Capitólio, Miller pediu a outros manifestantes para se juntarem a ele e empurrarem os polícias no Lower West Terrace.

No momento em que foi detido, no ano passado, Miller acabou libertado, mas ficou a aguardar a sentença na prisão, após ter confessado os crimes de que estava acusado, em fevereiro.

O advogado de defesa, A. Eduardo Balarezo, salientou que o discernimento de Miller ficou afetado naquele dia, devido ao estado de embriaguez e idade, segundo o jornal Washington Post.

Então com 22 anos, o réu bebeu dez cervejas, uma bebida mais forte e fumou canábis.

"Estou envergonhado por ter sido tão influenciado pelos meus defeitos, vícios e ingenuidade. Infelizmente, participei em algumas ações idiotas que mudaram minha vida para sempre", salientou Miller perante o juiz.

O juiz distrital, Randolph Moss, não o condenou à pena máxima possível, explicando que ficou comovido com a declaração de Miller.

Após a pena de prisão, deverá ainda cumprir dois anos em liberdade condicional e pagar 2.000 dólares (cerca de 1.860 euros) em indemnização.

Mais de 800 pessoas foram acusadas de crimes federais relacionados com a invasão do Capitólio, sendo que 290 destas de declararam culpados e mais de 170 foram condenados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de