Ia a Moscovo a pé para "exorcizar" Putin. Foi detido pelo caminho

A viagem de Alexandre Gabychev era de 7.000 quilómetros e já contava com um grupo de discípulos.

Um xamã siberiano que realizava uma viagem a pé até Moscovo com a ambição de "exorcizar" o presidente Vladimir Putin, que descreveu como um "demónio", foi detido pela polícia russa, indicaram esta quinta-feira as autoridades.

A polícia da república russa de Buriácia, na Sibéria oriental, anunciou ter detido na noite de quarta-feira para hoje o xamã Alexandre Gabychev numa autoestrada próxima do lago Baikal.

Ele foi enviado para a sua região natal de Iacútia, onde é "procurado por ter cometido um crime", segundo a polícia, que não indicou o crime em causa.

"Há alguns minutos, a estrada foi cortada por polícias armados. Eles cercaram o nosso campo rapidamente e foram para a tenda do xamã. Eram algumas dezenas", contou um dos "seguidores" do xamã na plataforma YouTube de Alexandre Gabychev, onde ele conta a sua aventura.

Gabychev, 51 anos, começou a sua viagem através do maior país do mundo em março e previa chegar a Moscovo em 2021. Pretendia então organizar uma "cerimónia de exorcismo de Putin".

"Deus disse que ele era um demónio. A natureza não gosta dele. Onde ele está presente há cataclismos e atos de terrorismo", declarou à televisão Dojd em julho.

A chegada do xamã a Ulan-Ude, capital da Buriácia, em agosto, provocou escaramuças e antes Gabychev tinha falado na cidade siberiana de Chita diante de centenas de pessoas, vestindo uma 't-shirt' de Che Guevara e garantindo: "Quando ele (Putin) partir, haverá mil anos de calma e prosperidade".

Nas últimas semanas, juntou-se ao seu périplo de 7.000 quilómetros entre a sua cidade de Yakutsk e Moscovo um pequeno grupo de discípulos, convencidos ou divertidos com as suas declarações sobre o presidente russo. Isso levou a reportagens da televisão pública russa e a problemas com as autoridades locais.

Alexei Navalny, o principal opositor do Kremlin, troçou da reação das autoridades: "Putin tem medo. Bate os pés e grita: 'Meu Deus, salva-me deste xamã. E se ele me exorcizar mesmo?'".

Antigamente muito praticado nas regiões isoladas da Sibéria e do Extremo Oriente, o xamanismo, que se considera intermediar entre o homem e as forças da natureza, foi proibido durante o período soviético, registando um renovado interesse com o fim da URSS.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de