Impacto em Portugal e no mundo. Falência da Thomas Cook deixa turismo à deriva

O operador turístico britânico Thomas Cook anunciou falência esta segunda-feira. As autoridades terão agora que organizar um repatriamento maciço de cerca de 600.000 turistas em todo o mundo.

A empresa, com 178 anos de atividade, tinha previsto assinar esta semana um pacote de resgate com o seu maior acionista, o grupo chinês Fosun, estimado em 900 milhões de libras (1.023 milhões de euros), mas tal foi adiado pela exigência dos bancos que o grupo tivesse novas reservas para o inverno.

Em Portugal é dona da seguradora Fidelidade, que comprou à Caixa Geral de Depósitos (CGD) em 2014 e, através da seguradora, 5% da REN - Redes Energéticas Nacionais, é a maior acionista do banco BCP (com 27,25%) e é a dona da Luz Saúde.

As autoridades terão agora que organizar um repatriamento maciço de cerca de 600.000 turistas em todo o mundo, incluindo 150.000 para a Grã-Bretanha.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de