Incêndio na Califórnia faz deslocar milhares de pessoas

Mais de duas mil casas de habitação e empresas estão sem energia devido ao incêndio. "O comportamento explosivo do fogo é um desafio para os bombeiros", admitiu o Departamento de Silvicultura e Proteção contra incêndios.

Um incêndio que deflagrou na sexta-feira perto do Parque Nacional de Yosemite, no estado norte-americano da Califórnia, aumentou de intensidade e é já dos maiores deste ano, com milhares de pessoas a serem deslocadas.

Mais de duas mil casas de habitação e empresas estão sem energia devido ao incêndio, que deflagrou na sexta-feira à tarde a sudoeste do Parque, perto da cidade de Midpines, no condado de Mariposa.

No sábado foi dada ordem para evacuar locais onde vivem mais de seis mil pessoas, num raio de vários quilómetros numa zona rural escassamente povoada.

Nesse mesmo dia registou-se um aumento de intensidade, indicou fonte do Departamento de Silvicultura e Proteção contra Incêndios da Califórnia, e eclodiu quando os bombeiros lutavam contra outro incêndio perto de um bosque de sequoias gigantes, na parte mais a sul do parque Yosemite.

"O comportamento explosivo do fogo é um desafio para os bombeiros", indicou a mesma fonte.

Na manhã de sábado, o incêndio tinha destruído 10 estruturas residenciais e comerciais, danificado outras cinco e ameaçava mais 2.000 estruturas, informou o Departamento, destacando que foram encerradas numerosas estradas, incluindo a Autoestrada 140, bloqueando uma das principais vias para o Parque de Yosemite.

Mais de 400 bombeiros, juntamente com helicópteros, outras aeronaves e bulldozers, combatem o incêndio, que atingia uma zona escassamente povoada, na sua maioria rural, no sopé da Serra Nevada, disse Daniel Patterson, porta-voz da "Sierra National Forest", uma floresta nacional dos Estados Unidos que faz fronteira com o Parque Nacional de Yosemite.

O tempo quente, a baixa humidade e a vegetação seca devido à pior seca das últimas décadas estavam a alimentar as chamas e a desafiar as equipas de bombeiros, disse Daniel Patterson.

A Califórnia tem sofrido incêndios cada vez maiores e mais mortais nos últimos anos, uma vez que as alterações climáticas tornaram o Ocidente muito mais quente e seco nos últimos 30 anos. Os cientistas afirmaram que o tempo continuará a ser mais extremo e os incêndios florestais mais frequentes, destrutivos e imprevisíveis.

"O fogo está a mover-se rapidamente. Este fogo fazia na sexta-feira projeções para a frente de si mesmo de até mais de três quilómetros", disse Daniel Paterson, considerando como excecionais as condições do incêndio, cujas causas estão a ser investigadas.

A empresa de fornecimento de eletricidade "Pacific Gas & Electric" afirmou na sua página na internet que mais de 2.600 casas e empresas na área estão sem energia desde sexta-feira à tarde e que não havia indicações de quando a situação seria normalizada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de