Incêndio no Japão destrói castelo que é Património Mundial da Humanidade

O castelo é um símbolo da herança cultural de Okinawa desde a época do Reino de Ryukyu, no século XV.

Um incêndio deflagrou esta madrugada no histórico Castelo de Shuri, em Okinawa, no Japão, tendo as chamas já destruído o salão prinicipal e outras estruturas deste monumento que é património da UNESCO, anunciaram as autoridades.

O alerta para o incêndio foi dado às 2h40 (17h40 de quarta-feira, em Lisboa) e o combate às chamas ainda mobiliza a esta hora vários operacionais.

O fogo, que teve início no salão principal, Seiden, já consumiu 4.200 metros quadrados do complexo, de acordo com a emissora NHK.

Não há, até ao momento, registo de feridos, mas 30 pessoas foram retiradas das suas casas e transferidas para locais mais seguros, disse o porta-voz da polícia de Okinawa, Ryo Kochi. As causas do incêndio ainda estão a ser apuradas.

Além do salão principal, as chamas já consumiram o salão norte (Hokuden) e uma terceira estrutura, Nanden, está quase destruída.

O castelo é um símbolo da herança cultural de Okinawa desde a época do Reino de Ryukyu, que se estendeu por cerca de 450 anos, de 1429 até 1879, quando a ilha foi anexada pelo Japão.

O monumento é também um símbolo da luta e do esforço de Okinawa para se recuperar da Segunda Guerra Mundial. O palácio foi destruído durante a Batalha de Okinawa, em 1945, mas foi amplamente restaurado em 1992 e abriu depois como um parque nacional.

Em 2000, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) declarou o castelo como Património Mundial da Humanidade.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados