Incêndio que devastou área florestal no Chipre está sob controlo

Quatro trabalhadores rurais egípcios foram encontrados mortos no domingo.

O grande incêndio que devastou áreas inteiras da floresta de Troodos, no Chipre, que provocou a morte de quatro pessoas, está "completamente sob controlo", anunciaram hoje as autoridades locais.

"O incêndio que começou ao meio-dia de sábado, na comunidade de Arakapa e que se estendeu para as povoações de Eptagonia, Akapnos, Oras, Melini, Sykopetra, Odos e Agioi Vavatsinias, está hoje sob controlo total", disse o Departamento Florestal do Ministério da Agricultura cipriota, num comunicado.

Quatro trabalhadores rurais egípcios foram encontrados mortos no domingo.

Os seus corpos carbonizados, que impediram a sua identificação, foram encontrados na periferia da aldeia de Odos, no distrito de Lárnaca, quase um dia depois de terem sido declarados desaparecidos.

O Presidente do Chipre, Nikos Anastasiadis, comprometeu-se a apoiar financeiramente as famílias dos jovens, entre 25 e 30 anos, vítimas das chamas.

Oficialmente, o incêndio destruiu 55 quilómetros quadrados de área florestal no sul da ilha, embora um estudo universitário baseado em imagens do satélite Sentinel-3 estima que a área queimada seja de 67 quilómetros quadrados.

As populações de várias pequenas povoações tiveram de ser deslocadas da área, pelo menos 25 edifícios ficaram danificados ou totalmente destruídos e o fornecimento de eletricidade foi interrompido.

Segundo a imprensa cipriota, os aviões de combate a incêndios destacados para a ilha mediterrânica vindos da Grécia, Israel e Itália, que chegaram em resposta à ativação no sábado do mecanismo europeu de proteção civil, fizeram a diferença no combate ao fogo.

Um agricultor de 67 anos foi detido e colocado sob custódia das autoridades policiais por supostamente ter iniciado o incêndio.

Uma testemunha ocular afirmou que o viu deixar a localidade de Arakapas no seu carro ao mesmo tempo que o incêndio começou nas proximidades, segundo a polícia.

Ainda não se sabe se foi negligência por ter queimado mato no meio de uma onda de calor, como é apontado pelos meios de comunicação locais nas últimas horas, ou se o incêndio poderá ter sido provocado intencionalmente.

De acordo com a polícia, o homem pode ser acusado de homicídio involuntário pela morte dos quatro jovens.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de