Infeções batem recordes, mas há países a aligeirar as restrições

Fevereiro vai ser um mês diferente em vários países da Europa. Os governos já decidiram, ou estão a preparar, o levantamento das restrições impostas por causa da pandemia.

Dinamarca, Países Baixos, Irlanda, França e Malta são alguns dos países que querem voltar ao normal o mais depressa possível.

Os Países Baixos, que tal como a Irlanda, aplicaram um dos mais rigorosos pacotes de restrições da Europa, continuam a ver o número de infeções a aumentar, mas decidiram facilitar a vida dos cidadãos.

Os restaurantes, cafés e bares já reabriram e podem funcionar até às 22h00. Mantém-se, no entanto, a obrigatoriedade de apresentar à entrada um teste negativo, mais a prova de vacinação ou de que se está recuperado de uma infeção.

Os museus que durante o fim de semana foram palco de protestos também já reabriram as portas. O governo já tinha dado luz verde à abertura de cabeleireiros e barbeiros e para mostrarem que não fazia sentido manter os museus fechados, os profissionais encheram as salas, repletas de quadros e estátuas, de cortes de cabelo e pinturas das unhas.

Na Irlanda, a partir de sábado, os bares e restaurantes já não vão ter de fechar às 20h00. Foi ainda decidido que os eventos, tanto no interior como ao ar livre, deixam de ter limitação de espetadores, o que abre caminho para ter casa cheia no torneio das 6 nações de râguebi, que se realiza no próximo mês.

A obrigatoriedade de usar máscara nas lojas e transportes públicos vai manter-se até ao final de fevereiro.

A semana passada passada a Irlanda teve a segunda mais alta taxa de incidência de Covid na Europa, mas os internamentos e as mortes continuaram baixas e foi considerado seguro aligeirar as medidas.

A Dinamarca vai acompanhar o levantamento das restrições com uma quarta dose da vacina para os cidadãos mais vulneráveis. A partir de terça feira, entre outras medidas, as máscaras deixam de ser obrigatórias, os restaurantes vão poder servir álcool depois da 22h00 e os certificados de vacinação podem ficar em casa.

Em França, a data da mudança é 2 de fevereiro. As salas de espetáculos, os pavilhões desportivos e outros eventos deixam de ter limitação de espetadores e as máscaras deixam de ser obrigatórias ao ar livre.

O teletrabalho que ainda é obrigatório em algumas profissões deixa de o ser, mas o governo sugere que as pessoas continuem a trabalhar a partir de casa três vezes por semana.

Nas escolas para já nada é alterado, as crianças e jovens têm de continuar a usar máscaras. Neste momento, há cerca de 17 mil turmas em casa por causa de casos positivos de SARS-Cov-2.

Em Malta, a partir de dia 7, os certificados de vacinação deixam de ser precisos nos bares e restaurantes. Sete dias depois a medida é alargada aos cinemas, teatros, piscinas, spas e ginásios. O país prepara-se também para reduzir o período de isolamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de