Bilionário paga dívidas a estudantes de instituição "historicamente afro-americana"

O investidor bilionário Robert F. Smith fez o anúncio na celebração de fim de curso dos estudantes da Universidade de Morehouse, num momento em que a turma ficou em apoteose, pela doação de cerca de 36 milhões de euros.

Sentaram-se para dar início a uma cerimónia emotiva, já com muitos sonhos a pairar nas suas cabeças. Mas houve uma concretização que se materializou de imediato, e, em aplausos, explodiu o sonho americano.

Elijah Nesly Dormeus é o único de nove filhos a frequentar a faculdade. A mãe fez muitos sacrifícios para que o estudante universitário pudesse concluir os estudos na Universidade de Morehouse, entre empregos que asseguravam apenas o salário mínimo, depois de o pai ter morrido quando Dormeus tinha cinco anos. "Todo o trabalho dela, tudo o que fez por mim não foi em vão", garantiu o nova-iorquino de 22 anos, quando o bilionário F. Smith se ofereceu para pagar os empréstimos de todos os estudantes.

Para além de uma dívida estudantil que Elijah Nesly Dormeus contraiu no valor de 90 mil dólares [81 mil euros], o investidor encarregou-se de pagar um empréstimo que a mãe fez para o ajudar com os custos.

No entanto, Elijah não estava sozinho na felicidade, era vizinho dos sorrisos de outros 395 estudantes a quem Smith também pagou as contas. Num discurso marcado pela comoção, o bilionário norte-americano revelou querer prestar homenagem a uma instituição "historicamente afro-americana", como reporta a CNN.

"Em nome das oito gerações da minha família que viveram neste país, comprometo-me a olear a vossa máquina", anunciou aos recém-formados em Atlanta. Seguiu-se uma ovação em pé e cânticos, num clima de apoteose.

O bilionário prosseguiu com um apelo ao grupo universitário. "Vamos garantir que cada turma tenha a mesma oportunidade, porque nós somos suficientes para cuidar da nossa própria comunidade. Somos o bastante para garantir que todos terão as oportunidades do sonho americano ", asseverou, convicto.

O valor exato que cobrirá as dívidas dos 396 estudantes ainda não foi calculado. No entanto, o número ascenderá aos 40 milhões de dólares (36 milhões na moeda única). Este é um "presente de libertação", classificou o diretor da Universidade de Morehouse, em declarações à CNN. "Quando temos dívidas, as escolhas que temos no mundo são limitadas", referiu. "Este presente é uma oferta da liberdade para seguir os sonhos e as paixões."

Esta não é o primeiro ato solidário de Smith, que vê na história dos afro-americanos uma corrida de obstáculos para a qual ainda se precisa de um ou outro empurrão. "Nunca me vou esquecer de que o meu caminho foi iniciado pelos meus pais, avós e gerações de afro-americanos cujos nomes nunca conheci", confidenciou Smith. "As suas lutas, a sua coragem e progresso permitiram-me lutar e alcançar as minhas metas. A minha história só seria possível nos Estados Unidos da América, e cabe-nos a todos pagar essa herança."

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de