Cai primeira hipótese para Sánchez formar Governo. Unidas Podemos vota contra

O Unidas Podemos não aceita aliar-se a Sánchez por não aceitar a pequena participação que os seus ministros teriam no Governo. As votações são retomadas na quinta-feira.

O partido espanhol Unidas Podemos reafirmou esta terça-feira que não fará um voto de confirmação a favor do primeiro-ministro Pedro Sánchez, o que o fez perder a primeira oportunidade de ser reconduzido, avança a agência Reuters. Pedro Sánchez fica, assim, numa situação de limbo.

O primeiro-ministro eleito foi o que mais lugares ganhou em abril, mas não conseguiu atingir uma maioria, pelo que enfrenta, há três meses, uma negociação difícil para uma possível aliança de centro e extrema-esquerda com o Podemos.

Era já previsível que a proposta caísse esta terça-feira, mas o porta-voz das negociações do lado do Unidos Podemos, Pablo Echenique, tinha explicado a uma rádio espanhola, Cadena Ser radio, que não saberia se se absteriam ou se iriam votar 'não'.

Sánchez necessitaria de uma maioria absoluta de 176 votos positivos de 350 lugares do parlamento. Na quinta-feira, segunda votação, o cenário será diferente: serão necessários mais votos 'sim' do que abstenções.

Echenique considera que têm sido difíceis as conversas de negociação de um Governo socialista, e as tensões entre Sánchez e Iglésias no debate parlamentar na segunda-feira mostraram quão difícil seria assegurar a estabilidade de um Executivo de coligação.

A questão que tem complicado as conversações prende-se com o papel que os ministros do Podemos teriam no Governo espanhol. Iglésias acusou Sánchez de querer dar-lhes apenas um lugar "decorativo" sem qualquer poder de decisão associado.

Caso Sánchez não seja reconduzido como primeiro-ministro na quinta-feira, as votações serão retomadas em setembro. Se também isso falhar, haverá novas eleições a 10 de novembro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de