"Crise dos Opióides" chegou à Europa

Suécia, Noruega, Irlanda e Reino Unido registaram uma subida acentuada das mortes relacionadas com opióides.

A "crise dos opiodes" já ultrapassou as fronteiras dos Estados Unidos e chegou à Europa. Quem o afirma é a Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económica, que explica o alargamento do fenómeno com a utilização cada vez mais comum de analgésicos à base de ópio.

Só na América, as estatísticas dão conta de quase quatrocentas mil mortes por overdose de opiáceos desde 1999. Números que, pela primeira vez em 60 anos, fizeram com que a esperança de vida tenha diminuído nos Estados Unidos.

A "crise dos opióides" foi, aliás, um dos principais temas da campanha de Trump às Presidenciais em 2016.

Esta quinta-feira, a Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económica sublinhou uma subida acentuada no número de mortes relacionadas com opióides na Suécia, Noruega, Irlanda e Reino Unido.

A organização culpa as grandes farmacêuticas por levarem a cabo campanhas de marketing apontadas aos médicos e pacientes, onde os efeitos secundários dos opióides são claramente menosprezados.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de