É "absolutamente vital" abandonar UE até 31 de outubro

Boris Johnson frisou que os britânicos devem estar preparados para um 'hard Brexit'.

Boris Johnson, o candidato favorito na sucessão Theresa May para liderar o Partido Conservador e como chefe do Governo, diz ser "absolutamente vital" abandonar a União Europeia até 31 de outubro, quando acaba o prazo para o Brexit. Johnson apelou também a que os britânicos se preparem para uma saída sem acordo.

Questionado pelo adversário Jeremy Hunt, num debate televisivo, o candidato ao Partido Conservador recusou-se a responder se se afastaria, caso o Brexit não aconteça até ao fim de outubro. "Considero muito, muito importante não considerar qualquer circunstância em que o Brexit ainda não tenha acontecido no fim de outubro. Não quero transmitir à União Europeia a ideia de que poderão conseguir afastar-me através de uma recusa para qualquer acordo", rebateu.

Noutro plano, Hunt garantiu que eleições precoces são um risco, e que não quer uma ida às urnas até que o Brexit esteja concluído. Boris Johnson, no entanto, replicou que não bater com a porta da União Europeia até ao último dia de outubro é a forma mais clara de perder as eleições.

Jeremy Hunt criticou, no decurso do frente-a-frente, a falta de plano de Johnson, que, frisou, terá um custo. Pelo contrário, o candidato ao Partido Conservador acredita que um Brexit mal gerido poderá ter consequências ainda mais pesadas.

Para Hunt, esta é uma tentativa de Boris Johnson de dizer aos britânicos "o que eles querem ouvir". Seria "uma derrota absoluta não cumprir o prazo" para a formalização do Brexit, salienta Johnson.

Boris Johnson deixou claro que não descarta suspender o parlamento para deliberar a pasta do Brexit, apesar de o seu opositor ter frisado que, na última vez em que tal aconteceu, houve uma guerra civil. Contrariamente aos receios de Jeremy Hunt, Johnson afirmou que esta é uma possibilidade que não porá de parte.

Hunt recusou o "otimismo cego" em que a saída da UE está envolta, na consciência coletiva do Reino Unido. Por seu lado, Johnson teme que o país que quer deixar a União Europeia "acabe administrado por ela".

Ambos os candidatos são, então, desafiados a levantar as mãos se tiverem certezas de que podem concluir o Brexit até 31 de outubro. Ambos o fazem, o que leva Johnson a exclamar: "Esse é o espírito, Jeremy!"

O opositor mais direto de Boris Johnson confrontou-o ainda com os impostos para os mais ricos, que, acredita, "transmitem a mensagem errada". Hunt admite que o seu plano de redução de impostos corporativos "não é o mais popular", mas destaca como a ação semelhante de Donald Trump fez a economia dos EUA crescer.

* Em atualização

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de