Escapam 'nudes' de um autarca e o Boca Aberta reagiu

O caso é sério. Oposição quer o 'impeachment' de Eugênio Serpeloni por atentado ao pudor. Mas o nome da cidade e dos deputados que protocolaram o pedido de destituição tornam-no cómico.

Acontece aos melhores: Anthony Weiner, político americano do Partido Democrata dado até como presidenciável, teve a carreira política encurtada por se tornarem públicos nudes seus enviados a mulheres por aplicativos de telemóvel.

O presidente da Câmara Municipal da cidade de Rolândia, no Paraná, não está por isso sozinho nem mal acompanhado. Eugênio Serpeloni enfrenta forte pressão para se demitir do cargo depois de ter circulado em grupos de Whatsapp um vídeo seu com a língua de fora, todo nu, a acariciar o pénis.

Diz ele que teve o telemóvel clonado e que por isso ia até apresentar queixa na polícia civil - no fundo, sentia-se mais vítima do que culpado.

Embora o caso seja de uma pequena cidade nos subúrbios da metrópole Londrina, o assunto, pelo lado inusitado, ganhou repercussão nacional e muitos memes das redes sociais. Mais ainda porque "rola" é uma das formas, de baixo calão, com que os brasileiros se referem ao órgão sexual masculino e a cidade em causa chama-se Rolândia.

No entanto, o assunto é sério. E a oposição, através de dois deputados, até já entrou com processo de 'impeachment' contra Serpeloni por atentado ao pudor. O assunto voltou a passar de sério a cómico, porém, porque os dois deputados que pedem a destituição de Serpeloni se chamam Boca Aberta e o seu filho Boca Aberta Júnior.

Acontece no Brasil.

Continuar a ler