Exército israelita responde ao ataque aéreo de Gaza

Os ataques provenientes do enclave seguiram-se à promessa do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, de anexar uma parte da Cisjordânia ocupada se for reeleito nas legislativas de 17 de setembro.

As Forças Armadas de Israel bombardearam esta quarta-feira alvos militares em Gaza, em resposta a dois rockets lançados pelo enclave, horas antes, e que foram intercetados pelas autoridades israelitas.

Em resposta ao ataque de Gaza, "aviões de combate das Forças de Defesa de Israel atacaram 15 alvos terroristas no norte e centro da Faixa de Gaza, incluindo uma fábrica de armas e um complexo naval", pode ler-se num comunicado do exército.

Os ataques provenientes do enclave seguiram-se à promessa do primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, de anexar uma parte da Cisjordânia ocupada se for reeleito nas legislativas de 17 de setembro.

Depois de soarem as sirenes de ataques aéreos provenientes da Faixa de Gaza, Benjamin Netanyahu, que discursava numa ação de campanha, foi retirado do local pelos seguranças.

O governante acabou por regressar ao palco e continuou o seu discurso alguns minutos depois.

A 17 de setembro os israelitas são chamados às urnas pela segunda vez em menos de seis meses e Netanyahu, o primeiro-ministro que ocupa o cargo há mais tempo na história do país, procura atrair os favores do eleitorado russófono, maioritariamente apoiante do partido nacionalista laico Israel Beiteinu, dirigido por Avigdor Lieberman.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de