"O mundo de hoje não pode suportar uma confrontação no Golfo"

António Guterres alerta para necessidade de "evitar escalada de tensão" no Golfo, que teria "consequências imprevisíveis".

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, alertou hoje para necessidade de "evitar qualquer escalada" de tensão no Golfo, face ao agravamento das relações entre os Estados Unidos nos últimos dias.

"Neste momento vivemos no Golfo uma situação de grande tensão, como é sabido. Disse há dois dias que é preciso que todos tenham nervos de aço. É absolutamente indispensável evitar qualquer escalada", disse António Guterres, à margem da Conferência Mundial de responsáveis pela Juventude, que terminou hoje.

O clima de tensão entre o Irão e os Estados Unidos dura há bastante tempo, mas a crispação tem aumentado desde que Donald Trump retirou os Estados Unidos, há um ano, do acordo nuclear internacional assinado em 2015 entre os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança -- Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China (mais a Alemanha) -- e o Irão, restaurando sanções devastadoras para a economia iraniana.

No sábado, Donald Trump, admitiu que o uso da força contra o Irão "está sempre em cima da mesa". Esta declaração surgiu depois de, na quinta-feira, ter havido a confirmação de que o Irão tinha abatido um drone americano -- que, segundo Teerão, violou o espaço aéreo nacional, mas, de acordo com Washington, estava em espaço aéreo internacional.

Donald Trump anunciou, como retaliação, um ataque contra três locais no Irão, o qual foi abortado, à última hora, segundo Trump para evitar um elevado número de mortos.

Na sexta-feira, os Estados Unidos pediram a realização de uma reunião à porta fechada do Conselho de Segurança das Nações Unidas, para falar sobre os últimos desenvolvimentos relacionados com o Irão, o que deverá acontecer na segunda-feira.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de