Há doze mil anos de história da Humanidade prestes a desaparecer do mapa

Na Turquia uma das cidades mais antigas de que há registo está a poucas semanas de ficar submersa por causa da construção de uma mega barragem.

O projeto é controverso e arrasta-se já há várias décadas, mas agora parece inevitável e está finalmente prestes a concretizar-se. Hasankeyf tem cerca de 12 mil anos, o que faz da cidade um dos vestígios mais antigos da civilização que nasceu na Mesopotâmia. Por aqui passaram várias culturas e impérios ao longo dos séculos, e os arqueólogos consideram-na um testemunho valioso do passado da humanidade. Mas nada disso impedirá parte da cidade de começar a desaparecer dentro de algumas semanas.

Hasankeyf está situada junto ao rio Tigre, na província de Batman, no sudeste da Turquia, onde está a ser construída uma das maiores barragens do país. Os primeiros planos para a construção da barragem de Ilisu surgiram já na década de 50 do século passado, mas a construção só teria início em 2006.

O reservatório da mega barragem irá ocupar mais de 300 quilómetros quadrados naquela região. Boa parte da cidade de 7 mil habitantes e vários locais históricos vão ficar assim submersos, restando apenas a parte da cidadela.

8 de outubro é a data limite dada pelas autoridades para os habitantes de Hasankeyf abandonarem a cidade. Um quinto da população já foi forçada a fazê-lo.

O governo retirou apenas algumas partes de monumentos históricos, que para já recolocou num descampado, e construiu uma nova cidade para realojar os habitantes afetados a cerca de 3 quilómetros da atual com apenas 700 casas, que não chegarão para todos. Quem não tiver casa receberá de compensação apenas 100 mil liras, o equivalente a mais ou menos 16 mil euros.

Inicialmente a construção deveria ser feita com o apoio de investimento externo. Mas o caráter controverso do projeto levou vários países e empresas europeias a retirarem-se nos últimos anos.

Depois de operacional, Ilisu será a quarta maior barragem da Turquia, e o governo turco argumenta que o empreendimento terá inúmeros benefícios económicos e ambientais.

Mas não é só esta cidade histórica que está em risco. Segundo organizações não-governamentais perto de 80 mil pessoas na região vão ser deslocadas, e vários outros locais históricos vão ficar submersos, entre eles centenas de igrejas, cavernas e túmulos que são um testemunho importante da história da humanidade.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de