Hungria condena a perpétua quatro homens responsáveis pela morte de 71 refugiados

O grupo de refugiados fugia da guerra e da pobreza no Médio Oriente, África e Ásia.

Um tribunal húngaro condenou a prisão perpétua quatro líderes da rede de traficantes responsáveis pela morte de 71 refugiados, dos quais oito eram mulheres e quatro eram crianças, que foram encontrados asfixiados num camião frigorífico abandonado na Áustria há quatro anos. Perante um crime destes, o juiz considera que só há uma pena possível: passarem a vida na prisão.

O grupo de refugiados fugia da guerra e da pobreza no Médio Oriente, África e Ásia.

O juiz húngaro considera "inimaginável o sofrimento naquele camião", bem como a indiferença que os quatro homens mostraram em relação à morte destes migrantes.

O líder afegão da rede de tráfico humano ordenou que o motorista não abrisse as portas hermeticamente fechadas do camião e que os traficantes - tiveram várias oportunidades para aliviar o sofrimento das vítimas - chegaram mesmo a comprar um cortador de aço, mas escolheram não o usar para abrir o camião.

A sentença é a decisão final mais pesada do que as instâncias anteriores.

O tribunal húngaro condenou mais dez membros desta rede de tráfico a vários anos de prisão.

Os corpos foram encontrados num camião abandonado numa vala da autoestrada A4, na fronteira com a Hungria.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de