O final (muito) diferente que George R. R. Martin imaginou para "Guerra dos Tronos"

Este artigo contém spoilers sobre o final da série "Game of Thones" ("Guerra dos Tronos") na televisão. Se ainda não viu o último episódio, guarde esta página para ler mais tarde.

Quando em 1993 George R. R. Martin tentou vender às editoras a história "épica" que começara a escrever, o desenlace imaginado era muito diferente do retratado no final da série televisiva da HBO, transmitido no último domingo.

Muito antes de ser um dos autores mais conhecidos do mundo, o norte-americano escreveu uma carta ao seu agente, Ralph Vicinanza, onde resumia a as suas ideias para saga "A Song of Ice and Fire" ("Uma canção de Gelo e Fogo"), inicialmente imaginada como uma trilogia. Agora que a série terminou, a carta foi revelada.

George R. R. Martin enviou também a Ralph Vicinanza as primeiras 170 páginas do primeiro livro, "A Guerra dos Tronos", e apesar de traçar as linhas gerais da narrativa já fazia a ressalva: "Eu não faço esboços dos meus romances. Se souber exatamente para onde vou, perco o interesse em escrever."

"Tenho contudo, algumas noções fortes da estrutura geral da história que estou a contar e do eventual destino das personagens principais", afirmava. O objetivo era que o leitor sentisse que "ninguém está a salvo, nem mesmo as personagens que aparentam ser heróis".

No fim, apenas cinco personagens principais sobreviveriam: Daenerys Targaryen, Tyrion Lannister, Jon Snow, Arya e Bran Stark.

Ao contrário do que aconteceu na série, Daenerys Targaryen é uma das personagens resistentes. Sabe-se apenas que mata Khal Drogo, foge para a selva, encontra três ovos de dragão e começa a planear a invasão dos Sete Reinos.

O percurso de Sansa Stark também é completamente diferente do rumo que acabou por seguir nos livros e na série televisiva. A filha mais velha da família Stark casa com Joffrey Baratheon e gera um filho. Quando a guerra se agrava, Sansa escolhe ficar ao lado do marido e o filho em vez dos irmãos, "decisão da qual se arrependeria amargamente". Não é, como na série, coroada rainha do Norte independente, e acaba por morrer em circunstâncias ainda não previstas.

Tyrion Lanister é exilado pelo irmão, Jamie, - que mata todos os pretendentes ao trono - e apaixona-se por Arya Stark, que por sua vez mantém uma relação amorosa com Jon Snow.

Um dos episódios mais aclamados da série - "The Rains of Castamere" - também não constava do plano original. Rob Satrk morreria em combate, derrotado por Jaime e Tyrion, e Catelyn viajaria para o norte da Muralha na companhia de Arya e Bran, onde acabaria por morrer às mãos do exército do norte.

"Espero que encontres editores tão entusiasmados com esta história como eu", terminava a missiva.

Segundo o jornal britâncio The Guardian, a editora Harper Collins confirmou a veracidade da carta: "temos um enorme orgulho em tê-la na nossa posse".

Oito anos e 73 episódios depois, a "Guerra dos Tronos" chegou ao fim na televisão. Falta ainda conhecer o final da saga na literatura - e não há promessas de que seja idêntico ao da série - já que George R. R. Martin ainda tem dois livros 'na gaveta': "Ventos de Inverno" e "Um Sonho de Primavera".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de