Revelada a voz de Frida Kahlo. Ouça o registo sonoro inédito

É uma declaração de amor da artista a Diego Rivera. A gravação fala de um homem amável que amou até à morte.

Nunca se tinha ouvido antes a voz da artista mexicana altamente documentada e retratada em obras e fotografias próprias. Agora, a única gravação de voz de Frida Kahlo emerge das sombras do esquecimento pelas mãos da Fonoteca Nacional do México.

Frida, que morreu em 1954, altura em que os registos sonoros deste tipo eram já frequentes, falava, então, sobre o seu amor da vida toda, Diego Rivera. Descoberta recentemente, esta gravação foi incluída, em 1956, num programa de rádio em formato de documentário, que se debruçava sobre o percurso do também artista com quem viveu intermitentemente.

No programa, Frida Kahlo recita fragmentos de um texto que tinha escrito para descrever o marido, que maternalmente ainda via como um "menino grande" pronto a receber colo. Com rosto amável e olhos grandes, Diego Rivera foi também o cerne de momentos conturbados da vida da artista.

A fita de rolo, entretanto digitalizada, é um artefacto único, a par dos que Frida Kahlo recolheu, fotografou e desenhou ao longo da sua carreira artística. O timbre emitido pelas cordas vocais esteve sempre omisso, embora a sua voz se tenha feito ouvir através do seu espólio e intervenções criativas.

Símbolo mais tarde adotado pela comunidade LGBT+ e pelos movimentos feministas, Frida perdura como uma voz que fala pelas mulheres nos interstícios da sua história.

O Governo do México admitiu, no entanto, que não há 100% de certezas de que seja de facto a voz da pintora da Casa Azul, por não haver base de comparação.

Foi também por isso que a gravação foi divulgada: a Fonoteca nacional do México quer encontrar mais pessoas que possam conhecer outras gravações ou reconhecer o timbre da voz de Frida Khalo.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de