Um Coração sem Fronteiras para as crianças da Venezuela

Um milhão e 700 mil venezuelanos chegaram à Colômbia, fugidos da crise no país de Nicolas Maduro. 20 a 30% são crianças. Encontram um porto de abrigo no bairro de Teusaquillo, em Bogotá.

A directora da Casa marista "Un Corazón Sin Fronteras" nota que estão a chegar cada vez mais crianças da Venezuela, com idades entre os zero e quatro anos. Sandra Rodríguez calcula que dos cerca de um milhão e 700 mil venezuelanos que procuraram a Colômbia, 340 mil a 510 mil sejam menores.

"Chegam com problemas de saúde a nível respiratório, sobretudo de desnutrição num alto nível, educação muito baixa e problemas de saúde oral", relata à TSF. As condições de saúde e educação precárias encontram resposta na Casa "Un Corazón Sin Fronteras", que acolhe as crianças venezuelanas, dos 5 aos 13 anos, de portas e braços abertos.

Sandra Rodríguez afirma que na Casa, as crianças aprendem "a partir de jogos, actividades de matemática, linguagem, leitura, social, espanhol e com muitas referências à sua identidade cultural". E voltam a sonhar "com um mundo diferente. Sonham que quando forem grandes, é possível ser algo mais e daí, a (importância da) educação".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de