Inundações obrigam à retirada de mais de 30 mil pessoas na região de Sydney

Um terço da população da Austrália vive no estado da Nova Gales do Sul.

As autoridades australianas ordenaram a mais de 30 mil pessoas em Sydney para abandonarem as residências esta segunda-feira, na sequência de inundações causadas por fortes chuvas desde o fim de semana.

A ordem de evacuação afeta várias áreas na parte ocidental de Sidney, onde os níveis dos rios Hawkesbury, Nepean e Colo continuam a subir.

O estado da Nova Gales do Sul, onde vive um terço da população do país, está a enfrentar as quartas cheias em 18 meses. As inundações devastadoras deixaram algumas comunidades isoladas.

"Para muitas comunidades, esta é mais uma inundação em menos de 18 meses. Algumas das imagens são realmente desoladoras: as casas das pessoas, as suas vidas viradas de cabeça para baixo novamente, e os seus meios de subsistência muito afetados", disse aos jornalistas o ministro da Recuperação das Cheias do governo regional de Nova Gales do Sul, Steph Cook.

Nos ultimos dias as chuvas torrenciais não têm parado e algumas barragens a ultrapassaram a capacidade de armazenamento. A maior barragem que fica a oeste de Sidney não tem capacidade para libertar água para evitar enchentes e, por isso, contribuiu para o alagamento da região.

Na sequência das fortes chuvas, que deverão continuar durante toda a semana ao longo da costa da Nova Gales do Sul, as autoridades australianas destacaram cerca de cem soldados para ajudar nos esforços de contenção e evacuação dos rios.

Em março, várias áreas da Nova Gales do Sul, incluindo Sidney ocidental e Lismore, a cerca de 600 quilómetros a norte da cidade, foram atingidas por inundações devastadoras, que causaram 20 mortos e danos materiais elevados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de