IOM e ONU pedem "vigorosa investigação" à morte de mais de 50 migrantes no Texas

Os representantes das organizações acreditam que "esta não será a primeira nem a última tragédia enquanto os traficantes de pessoas continuarem a visar migrantes e outras pessoas vulneráveis que apenas procuram uma vida melhor".

A Organização Internacional para a Migração (IOM) e o Alto Comissariado das Nações Unidas para os refugiados (ACNUR) pediram na terça-feira uma "vigorosa investigação" à morte de mais de 50 migrantes no interior de um camião no Texas.

Pelo menos 51 pessoas morreram depois de serem abandonadas dentre de um camião na segunda-feira, sob temperaturas de 40 ºC, em San Antonio, no do Texas, segundo a última atualização divulgada pelas autoridades norte-americanas.

"Lamentamos com as famílias a perda dos seus entes querido e apelamos para as autoridades em ambos os lados da fronteira para que investiguem vigorosamente e levem à justiça todos aqueles que, pelo seu insensível desrespeito pela vida humana, contribuíram para este terrível incidente", disse a diretora regional da IOM para a América e Caribe, Michele Klein.

Segundo a responsável, "esta não é a primeira nem será a última tragédia enquanto os traficantes de pessoas continuarem a visar migrantes e outras pessoas vulneráveis que apenas procuram uma vida melhor para si e para as suas famílias", opinião corroborada pelo representante da ACNUR, Matthew Reynolds.

"São necessárias alternativas mais seguras a esses movimentos irregulares e perigosos, garantindo um acesso rápido aos procedimentos de asilo para quem procura proteção internacional", apontou Reynolds, citado num comunicado conjunto das duas organizações.

De acordo como o Projeto Missing Migrants (Migrantes Desaparecidos), cerca de 3.000 pessoas foram dadas como mortas ou desaparecidas, desde 2014, após tentarem cruzar a fronteira do México para os EUA.

A mais recente tragédia, registada no Estado do Texas, aumenta o número de mortos só nos primeiros seis meses do ano para 290.

Segundo chefe da polícia local, William McManus, as autoridades foram alertadas, durante a tarde de segunda-feira, por um trabalhador que ouviu um grito de ajuda vindo do camião estacionado numa estrada remota.

As autoridades acreditam que o camião tenha vindo de Laredo, uma cidade fronteiriça que fica a 241 quilómetros a sul, e que deve ter sido abandonado devido a problemas mecânicos na viatura.

A agência noticiosa AP adiantou ainda que três pessoas foram detidas, mas que ainda não se sabe definitivamente se estão ligadas a tráfico de seres humanos.

Esta poderá ser já a travessia ilegal de migrantes do México para os Estados Unidos com o maior número de vítimas mortais das últimas décadas, referiu a agência de notícias Associated Press.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de