Islândia faz funeral ao primeiro glaciar declarado morto

A Islândia vai fazer um funeral ao primeiro glaciar islandês a perder a sua condição de glaciar devido às mudanças climáticas.

O desaparecimento do glaciar conhecido por "Ok" aconteceu em 2014 mas, só agora, dia 18 de agosto, lhe será feito um funeral, que servirá para consciencializar as pessoas acerca da crise climática.

Um glaciar forma-se a partir de camadas de neve que, ao longo do tempo, se transformam em gelo. Quando o gelo gradualmente deixa de fluir, as camadas vão ficando mais finas e, de acordo com os cientistas, o glaciar passa a estar morto.

O desaparecimento deste glaciar já era esperado, uma vez que já se tinha vindo a deteriorar ao longo do século XX. Em 1901, a área de gelo estendia-se por 38 quilómetros quadrados e, em 1978, a mesma área já só se estendia por apenas três.

No lugar do glaciar será instalada uma placa que terá uma mensagem gravada para as gerações presentes e futuras, revela o El País.

Andri Snaer Magnason, um dos escritores mais notáveis da Islândia, foi o escolhido para escrever as palavras gravadas no memorial, que será o primeiro monumento a homenagear um glaciar agora extinto.

Na Islândia há ainda cerca de 400 glaciares, que, no entanto, também se encontram em risco.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de