Israel anuncia mais 1355 casas para judeus nos colonatos da Cisjordânia

A colonização israelita da Cisjordânia e da região de Jerusalém oriental, que foi anexada ilegalmente segundo o direito internacional, tem sido uma medida adotada por todos os governos israelitas desde 1967.

Israel vai construir 1355 novas casas para colonos judeus na Cisjordânia ocupada, anunciou o Ministério da Construção israelita, em comunicado divulgado este domingo.

"As licitações para 1355 unidades habitacionais em localidades da Judeia-Samaria [nome dado por Israel à Cisjordânia] foram publicadas de acordo com a orientação do ministro da Construção, Zeev Elkin", refere o comunicado.

As novas casas vão juntar-se a uma série de outras anunciadas em agosto pelas autoridades, somando mais dois mil novos alojamentos para judeus na Cisjordânia, que deverão obter autorização final do Ministério da Defesa esta semana.

Os alojamentos serão construídos em sete colonatos, estando previstas 729 para Ariel (norte da Cisjordânia), 346 para Beit-El (perto de Ramallah) e 102 em Elkana (noroeste da Cisjordânia), adiantou o ministério.

Perto de 475 mil colonos judeus residem na Cisjordânia, onde também vivem 2,8 milhões de palestinianos.

A colonização israelita da Cisjordânia e da região de Jerusalém oriental, que foi anexada ilegalmente segundo o direito internacional, tem sido uma medida adotada por todos os governos israelitas desde 1967.

A estratégia foi acelerada nos últimos anos, sob a liderança do ex-primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu.

O novo primeiro-ministro, Naftali Bennett, está, desde meados de junho, à frente de uma coligação heterogénea que inclui partidos da direita radical e partidos de esquerda.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de