Japão levanta estado de emergência na área metropolitana de Tóquio

Estado de emergência em Tóquio e nas prefeituras de Kanagawa, Chiba e Saitama esteve em vigor durante dois meses e meio.

O estado de emergência devido à covid-19 foi esta segunda-feira levantado em Tóquio e nas prefeituras vizinhas de Kanagawa, Chiba e Saitama, onde esteve em vigor durante dois meses e meio.

O alerta sanitário na zona da capital foi levantado à meia-noite local (15h00 de domingo em Lisboa), tendo as autoridades locais pedido a bares e restaurantes que mantenham a hora de fecho anterior, como medida preventiva contra novas infeções à medida que os casos aumentam com novas estirpes.

A partir de agora, é possível fechar às 21h00 (12h00 em Lisboa).

Este apelo, contudo, não é juridicamente vinculativo fora do estado de emergência e, a partir de agora, quem não cumprir não fica sujeito a qualquer tipo de multa.

As medidas tomadas pelo Japão para travar a propagação da covid-19 estão a limitar o número de espetadores nos estádios desportivos e em grandes eventos, como concertos.

A capacidade, que tinha sido limitada a cinco mil pessoas, será gradualmente aumentada para 10 mil.

O Governo japonês, que anunciou o levantamento da medida há quatro dias, quer evitar um novo estado de emergência através do programa de vacinação, iniciado a 17 de fevereiro, o reforço do sistema de saúde e a expansão dos testes para detetar as novas variantes mais contagiosas.

O ministro da Saúde japonês, Norihisa Tamura, afirmou numa emissão televisiva na véspera do levantamento do alerta que o Japão está a considerar exigir que todos os viajantes que entram no país sejam testados para estas estirpes.

Esses viajantes devem ser submetidos a testes adicionais três dias depois de terem chegado ao Japão.

Os rigorosos controlos fronteiriços do arquipélago, que proíbem a entrada de qualquer pessoa que não seja nacional ou residente do país, com poucas exceções, exigem atualmente este teste adicional para quem for oriundo dos 24 países onde foi confirmada a presença de variantes do novo coronavírus SARS-CoV-2.

De acordo com Tamura, o país está agora a considerar tornar os testes de variantes obrigatórios para todos os que entram no país, embora ainda não tenha sido feito nenhum anúncio oficial.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.710.382 mortos no mundo, resultantes de mais de 122,7 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.768 pessoas dos 817.530 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de