Joias avaliadas em mil milhões de euros roubadas de museu alemão

Diretora dos Museus de Dresden prefere nem falar do valor destas joias.

Mais de cem joias com diamantes foram roubadas, na madrugada desta segunda-feira, de um dos mais antigos museus do mundo em Dresden, na Alemanha. Os ladrões ainda estão em fuga.

A diretora dos Museus de Dresden, desolada, prefere nem falar do valor destas joias, mas já há quem tenha feito as contas: o roubo vale cerca de mil milhões de euros. As autoridades alemãs admitem que, além destas cem joias, os assaltantes tenham levado outros objetos.

Este está a ser considerado o maior roubo de joias do pós-guerra.

Construído no século XVI, o museu é conhecido por ter uma das coleções mais importantes de joias antigas da Europa. Possui peças únicas de ourivesaria, pedras preciosas, porcelanas, esculturas de marfim ou âmbar, bronzes ou recipientes com pedras preciosas.

Uma parte do museu, um dos mais antigos da Europa, foi destruída durante a Segunda Guerra Mundial no bombardeamento dos aliados de 13 de fevereiro de 1945, sendo posteriormente reconstruída.

O Exército Vermelho apropriou-se de uma parte das obras, levadas para a União Soviética, antes de ser repatriado em 1958, para Dresden, uma das principais cidades da República Democrática Alemã (RDA).

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de