Ligeira desaceleração da Covid-19 no Reino Unido. País regista 24 mil infeções

Na quinta-feira tinham sido registadas 280 mortes e 23 065 novos casos.

O Reino Unido registou 274 mortes de Covid-19 nas últimas 24 horas e 24 405 novas infeções, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Saúde britânico, mas há sinais de que o ritmo de contágios está a desacelerar.

Na quinta-feira tinham sido registadas 280 mortes, e 23 065 novos casos. O total acumulado desde o início da pandemia de Covid-19 no Reino Unido é agora de 989 745 contágios confirmados e de a 46 229 óbitos registados num período de 28 dias após as vítimas terem recebido um teste positivo.

De acordo com as informações disponíveis, na quarta-feira estavam hospitalizados no Reino Unido 10 708 pacientes com Covid-19, dos quais 975 com necessidade de apoio respiratório por meio de ventilador.

Na atualização publicada esta sexta-feira pelo governo, o índice de transmissibilidade efetivo (Rt) desceu para entre 1,1 e 1,4, o que significa que o crescimento do vírus diminuiu ligeiramente.

Porém, para que o número de casos diminua, o índice deve cair para menos de 1, pois quando está acima a pandemia está a crescer exponencialmente.

Ainda assim, estima-se que mais de 655 900 pessoas no Reino Unido tenham sido infetadas com o novo coronavírus na semana passada, de 17 a 23 de outubro, de acordo com o instituto de estatísticas britânico (ONS, na sigla em inglês).

Os números sugerem que existem agora 51 900 novas infeções por dia, o que corresponde à projeção feita pelos assessores do primeiro-ministro, Chris Whitty e Patrick Vallance em meados de setembro, quando disseram que poderia haver 50 mil casos por dia em meados de outubro.

Apesar da pressão para serem tomadas medidas a nível nacional, o governo britânico continua a defender a estratégia de restrições graduais de acordo com a gravidade dos surtos aplicadas nas regiões afetadas.

A partir de segunda-feira, quase 20% de Inglaterra vai estar sob no nível "muito elevado", o mais alto de uma escala de três, com a entrada de West Yorkshire, passando a afetar cerca de 11 milhões de pessoas.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de