Macau afasta realização de segundo teste à população

Dado que os resultados do primeiro teste a toda a população do território foram negativos, "não será efetuada a segunda testagem" maciça.

As autoridades sanitárias de Macau descartaram, no domingo, a realização de um segundo teste à Covid-19 à população, caso não se registem novos casos entre as pessoas em quarentena.

Dado que os resultados do primeiro teste a toda a população do território foram negativos, "não será efetuada a segunda testagem" maciça, "caso não seja registado um novo caso com resultado positivo entre os grupos de pessoas que exigem observação chave", indicaram na conferência de imprensa do Centro de Coordenação de Contingência do Novo Tipo de Coronavírus.

Este tipo de testagem maciça, que abrangeu 716 251 pessoas, "apenas pode confirmar que toda a população de Macau não está infetada num determinado momento, mas não significa que o trabalho antiepidémico está concluído", afirmou o médico-adjunto da direção do Centro Hospitalar Conde de São Januário, Tai Wa Hou.

As autoridades vão continuar a proceder a "vários testes e acompanhamento de saúde", acrescentou.

Na terça-feira, quatro casos da variante delta do novo coronavírus detetados numa família residente em Macau levaram o Governo a decretar o "estado de emergência imediata" e a realização de testes à Covid-19 para toda a população, com início na quarta-feira e por três dias.

As autoridades anunciaram o encerramento de espaços culturais, desportivos e de diversão, bem como a suspensão ou cancelamento de atividades que se podiam traduzir na aglomeração de pessoas.

Desde o início da pandemia, Macau diagnosticou 63 casos, dos quais 58 são importados e cinco relacionados com casos importados. Já tiveram alta 57 pessoas e não há registo de qualquer infeção entre os profissionais de saúde.

No hospital Conde de São Januário, há quatro internados com Covid-19, enquanto no Centro Clínico de Saúde Pública de Coloane estão internadas 52 pessoas. Atualmente, 1861 pessoas estão a cumprir quarentena, de acordo com as autoridades.

A pandemia de Covid-19 fez pelo menos 4 287 427 mortos em todo o mundo, entre mais de 202,2 milhões de casos de infeção pelo coronavírus, desde que a OMS detetou a doença na China em finais de dezembro de 2019, segundo o último balanço da France-Press com base em dados oficiais.

Em Portugal, desde o início da pandemia, em março de 2020, morreram 17 467 pessoas e foram registados 986 967 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de