Maioria dos democratas não quer Biden como candidato nas eleições de 2024

Quase dois terços dos eleitores democratas entrevistados disseram considerar que o Partido Democrata devia nomear um candidato diferente para as presidenciais.

Uma sondagem realizada pelo jornal The New York Times e a faculdade Siena College, publicada esta segunda-feira, revela que a maioria dos democratas quer outro candidato às eleições presidenciais norte-americanas de 2024, excluindo o atual Presidente, Joe Biden.

De acordo com os resultados da sondagem, quase dois terços (64%) dos eleitores democratas entrevistados disseram considerar que o Partido Democrata devia nomear um candidato diferente para as presidenciais de 2024.

Um número que o diário The New York Times sublinha ser ainda "mais gritante" entre os jovens eleitores democratas, já que 94% dos que têm entre 18 e 29 anos dizem preferir um novo candidato.

Entre os 848 eleitores democratas entrevistados por telefone entre os dias 05 e 07 deste mês e que disseram querer um candidato diferente em 2024, um terço (33%) apontou a idade de Biden (atualmente com 79 anos) como principal motivo, enquanto 32% disseram que a sua posição tinha a ver com o desempenho do atual Presidente.

Os entrevistados nomearam a economia (20%), assim como a inflação e o custo de vida (15%), como os problemas mais importantes que o país enfrenta.

Por outro lado, também um terço dos entrevistados disse que aprova "um pouco ou fortemente" o trabalho que Joe Biden tem feito como Presidente dos Estados Unidos, cargo que ocupou em janeiro de 2021.

No entanto, apenas 13% consideraram que o país está no caminho certo, sendo esta a menor percentagem de pessoas que aprovam as decisões de um Presidente desde o auge da crise financeira, no início da década passada, segundo o jornal.

Os maiores desafios com que a Casa Branca se debate neste momento são a mais alta inflação das últimas décadas, os preços altos dos combustíveis e as preocupações com a idade de Joe Biden e os seus baixos índices de aprovação, que rondam os 38,6%, ou seja, são os mais baixos desde que foi eleito.

Ainda assim, Biden já anunciou querer recandidatar-se daqui a dois anos, numa altura em que já contará 82 anos. Em junho passado, a secretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, disse que os planos do Presidente Biden para 2024 não mudaram, garantindo que irá concorrer à reeleição.

Biden já tinha anunciado anteriormente que pretendia concorrer, em conjunto com a vice-presidente Kamala Harris, caso o seu antecessor (Donald Trump) volte a candidatar-se e desde que a sua saúde se mantenha boa.

Segundo avançou à Lusa, na semana passada, o cientista político Brian Adams, o Presidente norte-americano só conseguiu ter energia para a anterior candidatura à Presidência porque o mundo estava em pandemia "e não havia nada [de ações políticas de campanha] que se pudesse fazer".

Adams considerou que se Biden se recandidatar perante uma forte oposição do sistema [do Partido] Democrata, haverá primárias com múltiplos candidatos a tentarem tirar-lhe a nomeação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de