Mais cartas com balas em Espanha. Desta vez, alvo foi a presidente da região de Madrid

Estas cartas de ameaças foram enviadas em plena campanha para as eleições regionais de 4 de maio em Madrid, que têm como grande favorita a atual presidente, Isabel Diaz Ayuso.

Uma carta com balas enviada à presidente da região de Madrid, de direita, foi intercetada pelo serviço de correios, anunciou na terça-feira o governo espanhol, após ameaças semelhantes terem sido dirigidas a responsáveis políticos de esquerda.

"Os sistemas de segurança dos correios do centro de distribuição de Sant Cugat (Catalunha, nordeste) detetaram uma carta dirigida à presidente da região de Madrid e que continha dois projéteis", indicou o governo num comunicado.

Os correios também detetaram em Vallecas, bairro do sul de Madrid, uma outra "carta destinada à direção-geral da Guarda Civil e que continha quatro projéteis", adiantou.

A polícia "investiga os casos" que foram "firmemente condenados" pelo governo.

No passado fim de semana, o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, o líder do partido Podemos (esquerda radical) Pablo Iglésias e a chefe da Guarda Civil, Maria Gamez, receberam cartas com ameaças de morte e balas de uma espingarda utilizada pelo exército espanhol entre os anos 1960 e 1980.

Isabel Ayuso denunciou então a utilização política que, segundo ela, a esquerda fez dessas ameaças e falou de "circo".

A ministra do Turismo do governo de Pedro Sanchez, Reyes Maroto, também recebeu na segunda-feira um envelope com uma "faca ensanguentada", mas, segundo a comunicação social espanhola, uma pessoa com doença mental foi identificada como o remetente.

As cartas com ameaças inflamaram a campanha das eleições regionais, nas quais a esquerda, atrás nas sondagens, colocou a luta contra a extrema-direita no centro do escrutínio.

Na sexta-feira, Pablo Iglésias abandonou um debate na rádio quando a candidata do partido de extrema-direita Vox, Rocio Monasterio, levantou dúvidas sobre a autenticidade das ameaças.

Na terça-feira, os socialistas apelaram à formação de um "cordão sanitário" para impedir o Vox de entrar no governo da região, mas, de acordo com as sondagens, Isabel Ayuso poderá necessitar do apoio da ultra direita para governar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de